terça-feira, dezembro 25, 2007

Minhas filosofias!!!

Pois é, hoje é dia de Natal... Uáu. Não, isto não tem uma pinga de ironia, tem um balde cheio dela!!! LOL
Pois, para quem não sabe, eu não sou nada fã desta quadra?! Mas já há algum tempo que não escrevo no blog e como o meu mano me emprestou o portátil aproveitei...
Já há algum tempo que ando a passar uma fase muito instrospectiva... mas agravou-se com o facto do Francisco estar fora e eu assim ser obrigada a estar sozinha.
Sinto que andei a fugir disso e entretanto sem dar por nada, de mansinho... levei com uma avalanche de emoções! O nível II de Reiki mexeu com tudo o que em mim existia de emocional... balancei, mas iniciei sem me dar conta uma maratona. Objectivo, não me ouvir a mim mesma com medo de quebrar... qual frágil objecto em perigo de partir!? Mesmo à beirinha duma qualquer prateleira...
Sempre tive um jeito especial em lidar com os meus sentimentos e emoções LOL fugir a sete pés e ocupar-me o mais possível para nem sequer pensar que tenho alguma coisa para resolver... Eheheh!
E agora que já estou dentro do processo... sinto que fui lixada em grande por mim própria e, se é que é uma coincidência, pela Marinha que, uma vez mais, me roubou o companheiro durante três meses.
Tem sido interessante há que admitir... esta limpeza à casa... no final de contas não quebrei... pelo menos nada que não tivesse conserto!
Aprendi a lidar comigo mesma... perdi o medo da solidão, embora por vezes admita que me irrite, aliás enraivesse, o facto de ter encontrado alguém que amo e que me ama e essa pessoa passe a vida longe de mim. Sou uma espécie de solitária a fingir! LoL
Passam a vida, sei que não é por mal (há muitas situações em que eu própria também não sei o que dizer) a fazer todo o tipo de comentários a esse respeito... nenhum, no final de 3 anos de relação, original...
Aprendi que realmente nós sobrevivemos sozinhos, é uma questão de vontade! Mesmo quando estamos a construir uma vida a dois... à distância!
Se o amor saí ileso ou não da situação?! Não sei a resposta! Mas também ninguém a sabe relativamente a se uma relação saí ilesa de uma convivência constante.
São coisas que fogem à nossa inteligência.
Eu tenho aprendido muita coisa sozinha!
Viver feliz tem muito a ver com a nossa perpectiva... eu adoptei uma perpectiva óptica para analisar a situação. Ver mal ao perto, ver bem ao longe! E acrescentei um certo síndrome de défice de atenção...
Noutras palavras...
Se ligarmos a tudo o que é pormenor na nossa vida, se virmos muito bem ao perto, de certeza que todos somos infelizes... é fácil encontrarmos coisas erradas e negativas. Enquanto que se olharmos com um pouco mais de distância tudo melhora! Caso uma área esteja particularmente difícil fico com um problema ao nível da atenção... não me consigo concentrar aí, volto-me para as outras áreas que estejam mais positivas.
O Francisco está longe, mas isso tem-me dado tempo para equilibrar as coisas comigo mesma... aprender a não ser demasiadamente dependente. Além disso nós amamo-nos e isso faz com que não se caia na rotina, pelo contrário, estimula a que criemos elos entre nós e a que lutemos mais um pelo outro... percebendo o valor que temos um para o outro.
A vida profissional está longe de ser estável e aprazível, mas permite-me ter a minha casa paga, andar no meu pópó e cometer um ou outro luxo! Permite-me no fundo ser independente! Se isso futuramente está em risco?! O que é que não está?!
Em relação a tudo, tem-me ajudado muito uma ideia que a minha mestre de meditação nos transmite constantemente: neste mundo nada vos pertence, a não ser o vosso corpo.
Tenho seguido uma via mais espiritual e isso tem ajudado muito, admito... estou cá, mas muitas vezes sem o estar verdadeiramente. Eu não consigo ver noticiários, praticamente não vejo TV... são tantas as coisas com as quais não tenho contacto... porque tenho me voltado muito para mim mesma... sem esquecer os outros, no entanto. Cada vez mais me sinto mais voltada para os outros com tudo isto por incrível que pareça.
É difícil de explicar... é mais fácil acharem-me doida!
Cada um de nós é um mundo... um criador... interagindo com o mundo dos outros! Eu decidi criar o meu um pouco mais colorido... divertido... optimista, sem que também não deixe de ter as suas nuvens e as suas tempestades... sou humana no final de contas.
Todos têm a mesma hipótese que eu desde que não deixem que o vosso mundo seja abalado pelos outros mundos todos!!!
Uma beijoka desta amiga...

quinta-feira, novembro 08, 2007

Ponto de situação!

Tenho-me, dentro dos possíveis com os descontos devidamente dados por estarmos a falar de mim LOL, portado bem.
Tenho feito o ritual da Chama Violeta todas as manhãs, excepto ao fim de semana, por...... bem, podia inventar uma desculpa mais decente, mas por preguiça! Eu sei que é mau, mas estou a mentalizar-me para o conseguir fazer igualmente ao fim de semana, mesmo que não seja de manhã.
Relativamente a como corre o dia depois da Chama Violeta melhorou claramente... aliás só o primeiro dia é correu de forma muito atribulada, mas eu desconfio porquê. Na noite anterior tinha estado com o meu Padrinho fofo e com a Anocas na conversa e ingerimos algum álcool... Ou seja, fiz o ritual da Chama Violeta ainda com álcool no sangue, o que em termos energéticos não é correcto.
Tenho lido bastante...
Reiniciei de novo o trabalho com o Tarot e tenho-me sentido muito bem... vou continuar mediante as pessoas me peçam.
Falta-me nos finais das tardes ou noites começar a aplicar o que tenho aprendido na meditação que sinceramente ainda não consegui encontrar motivação dentro de mim para o fazer.
Objectivos:
- Fazer o ritual da chama violeta todos os dias, incluindo os fim de semanas;
- Meditar 1 pouco todos os finais de dias;
- E depois disto tudo alcançado, voltar a fazer a Auto-cura de Reiki pelo menos 2 vezes por semana e mandar novamente Reiki à distância.

Digo isto para me convencer a mim mesma ;)

Para quem esteja a iniciar o caminho da espiritualidade eu sou um bom exemplo dos percalços que se encontram... externos e internos a nós próprios.

segunda-feira, novembro 05, 2007

Chama Violeta

Já tinha feito anteriomente o ritual da Chama Violeta, mas ao final do dia. Porém ontem decidi esquematizar o ritual para o fazer todas as manhãs e decidi começar hoje. Isto porque o ritual da Chama Violeta, além de se tratar dum processo de cura, também se pode utilizar como protecção diária.
Eu não sei se acontece à maioria das pessoa, mas comigo acontece. Ao longo do dia, se eu não me proteger, vou ficando com cada vez menos energias e perante determinadas pessoas sinto mesmo algumas dores físicas. Por vezes chego a casa completamente estafada, a arrastar-me, praticamente pronta para ir para a cama. Há que notar que eu diariamente lido com dezenas de pessoas em estado emocional fragilizado.

Mas o dia de hoje não correu muito bem... aliás eu própria não estou nos meus dias. Nem sei explicar! Não é irritadiça, não é triste, estou simplemente estranha. Apetece-me ir para casa ficar sozinha... quietinha... no meu mundinho, sossegada!
Irónico que nos manuais de Chama Violeta que consultei diziam que os dias em que se faz o ritual de Chama Violeta são mais tranquilos.
Ui! Das duas uma, ou se não tivesse feito nada, o meu dia ia ser caótico, ou isto despoltou um efeito contrário... e pôs o meu dia do avesso.
Vamos aguardar... vou fazer mais um ou dois dias e vou ver o efeito.

O que é a Chama Violeta?
A Chama Violeta é uma poderosa ferramenta que ajuda na vida física, material, emocional e espiritual. Também é denominada chama do Perdão e da Misericórdia, representa a vibração do Espírito Santo. Quando invocada, a sua acção cósmica é completa, transmuta o nosso karma, cura o nosso corpo, nosso espírito, nossa alma, e eleva a nossa consciência.
Quando se faz a Iniciação da CHAMA VIOLETA conecta-se o indivíduo com a fonte de luz da chama violeta para que possa utilizar esta energia transmutadora em todas as áreas de sua vida. Esta iniciação propicia uma limpeza kármica profunda, assim como a limpeza e transmutação de registos negativos e aspectos nocivos do ego. Ela liberta a pessoa de energias intrusas e externas, e activa a capacidade de auto protecção. A energia ancorada nesta iniciação possibilita que a pessoa realize trabalhos em seu próprio ser a também trabalhos a nível planetário a fim de ser um agente transformador do planeta.

quinta-feira, outubro 18, 2007

O adeus!

O adeus de quem amamos é duro, amargo e dorido, mesmo que se seja um até à vista... mesmo que em nada seja definitivo.
A casa vazia de vida e de sentido...
A solidão que bate à porta e se instala, sem permissão!
As lágrimas que teimam em cair tanto mais quanto as tento reter...
Um aperto no coração...
Uma tristeza que se impõe, matando a vontade de sorrir, até a vontade de seguir em frente e enfrentar o simples dia-a-dia.
Estendem-se à minha frente mais três meses... sozinha!
O mar uma vez mais rouba-me a companhia... transportando parte do meu lar para o meio do Oceano Atlântico...
Como a rotina, pelas ausências constantes, chega a ser desejável...

Uma das muitas imagem que fazem com que ganhe forças e continue no meu caminho!




Há quem diga: "Diz-me com quem andas e dir-te-ei que és".
Mas eu faço uma adaptação: Mostra-me como és quando estás longe de "com quem andas" e dir-te-ei do que és capaz. LoL
Claro que na frase original se fala de companhias na generalidade e eu na minha reduzi o sentido...
Mas quem tem uma relação, partilhando uma casa e um projecto de vida, e mantem a maior parte do tempo uma relação à distância compreende com certeza o que eu estou a tentar dizer.
Acreditem que é uma situação que nos faz perceber quais as nossas forças e os nossos limites.
Tenho crescido muito...

segunda-feira, outubro 15, 2007

Fase de transformação!

Na Sexta-feira, dia 12, dei boleia a uma colega de trabalho, a Carla, tal como eu... e tal como mais duas outras colegas que lá trabalham... deve haver, onde trabalhamos, uma praga de Carlas... LoL! Por causa disso eu passei a Alexandra, outra passou a Sofia, outra a Carlinha e outra, ou tratamos por Carla Alexandra, ou pelo apelido. É engraçado! E já lá existiu outra Carla que entretanto foi embora... acho que ainda não fizeram 2 anos.
Mas enfim, vamos deixar o trabalho onde ele pertence, lá bem guardadinho.
O que eu quero escrever tem a ver com a viagem que fiz com a minha colega. Ela comentou que tinha estado a ler o meu blog e achei interessante o facto de ter sentido que eu estava num período conturbado... e fez um ar preocupado. Já agora uma beijoca para ela e para o bébé Afonso ;)
Tal como ela, outras pessoas que leram também podem ter ficado com a mesma ideia, daí decidir escrever este post, o que já tinha acontecido durante este ano. Mas vou já explicar porquê.
Eu prefiro dizer que estou a passar por um período de transformação. Este ano é um ano de transformação para mim, mas eu vejo-o de forma optimista, embora, como qualquer período de profundas transformações, seja extremamente instável e marcado por uma carga emocional intensa.
Desde que fiz o nível 2 de Reiki e a leitura de aura que senti que isto ia acontecer, mas por vezes hesitamos e fugimos destas transformações através da rotina de trabalho, da vida familiar ou social, de forma um pouco inconsciente. Foi o que aconteceu, mas como quando as transformações têm que acontecer elas impõem-se, a diferença e atentem a isto, o que podia ser a bem e por livre e espontânea vontade foi imposto e à força. E como tudo o que é imposto e forçado, comporta alguma dor.
Faz parte, na minha opinião, da beleza da evolução. Como já confessei várias vezes, um dos meus principais objectivos e maiores gostos é aproveitar as experiências de vida para me tornar melhor ser humano.
Sei o que tenho que mudar e sei que para isso tenho que enfrentar a minha solidão. Por vezes sinto-me um pouco perdida... as transformações internas não são como ir por exemplo procurar emprego, em que podemos definir passos concretos a seguir. É uma dança entre o consciente e o inconsciente que se pode tornar um pouco frustrante, por não serem visíveis os progressos... dum dia para o outro!
Daí eu pedir forças a Deus para seguir um bom caminho... dentro dos caminhos do bem e da verdade. Um caminho de luz que me faça sentir uma pessoa melhor e me faça ganhar capacidades e energia suficiente para ajudar os outros, através do Reiki, do Tarot, da minha sabedoria pessoal...
... que é isso que eu sinto que tenho de fazer! E é para isso que estou a caminhar...
Isto não quer dizer que vou deixar de trabalhar e tornar-me ou "bruxa" ou missionária. Vai-se reflectir na minha forma de estar perante as pessoas... em todas as vertentes... em casa, no trabalho, com os amigos.
Resumindo... sou completamente doida!!! Ou seja não há grande novidade...

quinta-feira, outubro 11, 2007

Vidas Passadas!

Andei a ler algumas coisas sobre espiritismo e admito que me fascinou!
Dá sentido a algumas coisas que sempre senti e a outras que por estranho que pareça já tinha escrito sobre elas, sem nunca ter lido qualquer coisa concreta.
Não vos acontece terem um sentimento de nostalgia que vos acompanha recorrentemente, sem aparente explicação?
Uma espécie de angústia, de falta. Antes de encontrar o amor pensava que seria disso, a falta daquele alguém que me esperava algures para ser meu companheiro de viagem. Mas depois de encontrar o amor, esse sentimento permaneceu... e o que é que eu pensei?! Um vez mais, o quanto eu sou estranha!!!
Mas entre os meus livros de espiritismo li que por vezes algumas pessoas sentiam uma sensação de nostalgia, sem razão aparente, porque eram ecos das suas almas, que tanta falta sentiam dos outros espirítos com quem já tinham convivido noutras vidas.
Isto tendo em conta que a teoria do espiritismo defende que o nosso estado primário é o do espírito. Espírito este que reencarna com o objectivo de se depurar através da vida corporal (que pode ser na Terra ou noutros mundos distintos). Na terra o espírito sente-se imensamente aprisionado, pois o materialismo em que se vive nesta dimensão o mantem tão inacessível ao que para ele, quando livre do seu envoltório corporal, é tão natural.
Os sofrimentos na vida corporal são atrozes! A morte é uma libertação para o espírito... onde reencontra faculdades que encarnado nem são imagináveis... e onde reencontra aqueles que tanto ama.
Na minha leitura de aura foi-me dito que a minha alma, ou espírito, como se quiser dizer, é muito antiga. Se calhar são já muitos os espíritos que me são próximos e a distância dos mesmos deixa marcas que até na minha matéria são perceptíveis. Isto porque, embora não nos lembremos exactamente das nossas vidas passadas, pois seria demasiado traumatizante e por vezes bloqueante, elas estão gravadas no nosso inconsciente, podendo nalgumas circunstâncias, se deslindarem em forma de intuições, pressentimentos, medos, ideias e informações, até pessoas que da primeira vez que as vimos temos a sensação de já as ter conhecido.
Nunca se sabe...
Hei-de escrever um pouco mais sobre este assunto!
Um beijo douradinho e cheio de luz...

Curso de Tarot - 1ro nível

Dia 29 e 30 de Setembro fiz o curso de Tarot, o primeiro nível. Finalmente! Demorou mas foi...
Estava um pouco receosa, mas adorei. Valeu mesmo a pena. As cartas ganharam novos significados e aprendi as tiragens fundamentais.
Além disso, fizemos algumas consultas entre nós, sobre vários sectores da nossa vida. Foi muito interessante!
Não é que para mim tivessem surgido grandes novidades... mais confirmações!
Só surgiu uma coisa que não esperava e que só o tempo dirá se acontecerá ou não. Que eu ia ser promovida no trabalho e que a minha vida financeira ia melhorar, consequentemente. Deus as oiça!!! LoL.
Eu digo por vezes em tom de brincadeira que não sou capaz de sair do local onde estou a trabalhar porque é o meu karma; por engraçado que pareça as cartas confirmaram-no! Só me vai ser permitido mudar de trabalho quando tudo estiver resolvido. É como se este sector de momento não dependesse do meu livre arbítrio...
Em termos espirituais as cartas espelharam as mudanças e a instabilidade que estou a passar. Muito interessante mesmo!
Por falar em espiritualidade quero ver se para o mês que vem vou começar a fazer meditação orientada uma vez por semana, para me auto-disciplinar e aprender as técnicas necessárias para depois, mais tarde fazer sozinha.
Vamos ver se isto me ajuda um pouco a definir o meu rumo. Sim porque aquele que outrora comecei a traçar desmoronou e deu conta das minhas estruturas internas. Uma (MUITO) má experiência trouxe ao de cimo todos os meus receios e toda a negatividade que eu nem sequer me imaginava capaz de despoltar. Agora estou a recomeçar... bem devagar, passinho a passinho!
Mas voltando ao curso de Tarot em si, gostei muito da formadora... olhou-me e falou comigo no decorrer do curso como se conseguisse ler a alma e deu-me um empurrãozinho que precisava para ter confiança suficiente para não desistir de seguir o meu ímpeto de procurar o meu próprio caminho na espiritualidade.
Obrigada! A ela e a todos os meus guias. Aos meus guias, principalmente, por não me terem abandonado quando seguia um caminho menos iluminado.

Espero mesmo que seja merecedora de ajuda para encontrar um caminho cheio de luz...

terça-feira, setembro 25, 2007

Fiz 27 anos dia 9 de Setembro

Estive doente logo na semana a seguir ao aniversário e depois com o trabalho acumulado não deu para acrescentar mais nenhum post.
27 anos!!!!!!!!!
Mais um ano de vida...
Engraçada a sensação que tenho tido ultimamente a cada ano que passa (pelo menos até agora!) é como se me sentisse cada vez mais identificada com quem sou. Não sei se me consigo fazer compreender! É como me sentisse mais eu, a cada ano que passa.
Chega-se à data de aniversário e parece ser obrigatório olhar para atrás e fazer um balanço. Parece que qualquer coisa interna a isso nos obriga!
Este ano foi um ano de progressos internos... aos olhos dos outros imperceptíveis eventualmente. Sei eu o quanto evoluí através da reflexão e auto-análise e das provas que entretanto a vida me propôs.
Em termos profissionais continuo estupidamente estacionária. Situação para a qual tenho que encontrar solução. Mas as mudanças não podem ser conseguidas todas duma vez. Tenho afinado a virtude de saber esperar! Além de que se ainda cá estou alguma coisa ainda tenho a fazer.
Fiz o segundo nível de Reiki...
Vi partir 3 pessoas muito especiais... a Irene e o Luís foram para Inglaterra, mais recentemente a Elka foi para Angola. Sempre comigo, trazem nestes momentos um ligeiro sabor de amargura... de saudade acrescida!
A minha relação com o Francisco está óptima... tocamos em conjunto uma melodia cada vez mais afinada. Só é triste a ausência mais acentuada que tem marcado a nossa relação nestes últimos tem tempos. E infelizmente isto tem-me marcado muito.
No dia do meu próprio aniversário dei por mim a passar o final de tarde e a noite sozinha... a chorar! Pesou-me um pouco a dor da solidão e tenho que admitir que me tem pesado durante este mês, mais do que nunca.
Fique aqui claro que eu passei o resto do dia dos meus anos sozinha não porque não tinha quem me fizesse companhia, mas por opção própria! Admito que foi um pouco de massoquismo, porque com quem eu queria passar o resto do dia estava longe.
Ultimamente ando um pouco sensível... isto porque tudo isto me tem levado a pensar que realmente uma das minhas provas nesta vida é passar estes períodos perlongados sozinha. Talvez seja um pré-requisito para a missão que tenho que levar a cabo. Mas é tão dura!!!
Bem, até dia dois de Outubro continuarei a viver sozinha com o meu gatinho e com o meu hamster... e depois o mais certo será mais Novembro, Dezembro e Janeiro, mais três meses! Por entre o resto que não está programado.
Deus quer que assim seja...
O que eu espero é que este novo ano de vida seja próspero... em colher frutos e em semear sementes para mais tarde colher novos frutos. E que Deus me dê forças para não sucumbir às adversidades...
O meu irmão mandou-me um mail que tinha uma imagem que adorei... a profundidade dos ensinamentos é muita e isto com o passar dos anos vamos tendo mais vontade de deitar cá para fora estas coisas que nos vão na alma. Identifiquei-me e vou partilhar para acabar com boa disposição o que já estava a ficar demasiado pesado.
Tem um palavrão, censurem se quiserem, eu acho que censurá-lo tirava-lhe a profundidade toda ;)
Um beijo!

quinta-feira, setembro 06, 2007

Deus!

Cada um terá a sua crença, ou não, em relação a Deus. Mas já me enviaram dois mails sobre uma entrevista que foi feita a alguém (eu não vou conseguir precisar nem o nome da pessoa nem grandes pormenores, a minha memória anda demasiado selectiva!) que falava sobre Deus. O contexto lembro-me era nos EUA. Um entrevistador perguntava ao entrevistado "Onde estava Deus quando aconteceu o 11 de Setembro?". E a resposta, claro que duma forma mais rebuscada, foi de que as pessoas tinham expulso Deus da vida laboral, do âmbito das escolas, pois proibiram o estudo da Bíblia... e mais uns Blablas... e que por isso é Deus não tinha entrevido nem nessa nem em situações semelhantes.
Eu não concordo!
Eu não sou estudiosa de nenhuma religião especifica, podem-me claramente chamar ignorante nesta matéria, à vontade! Mas são várias as religiões que proclamam o livre arbítrio. Eu acredito fortemente no livre arbítrio e que no fundo, este é que distingue em última instância as pessoas umas das outras.
Sabem o que fez Deus no dia 11 de Setembro?! Chorou e uma vez mais ficou desiludido com o caminho que algumas pessoas decidiram escolher... e com a falta de luz com que os seus corações ficaram por o terem feito.
De certeza que Deus esteve presente sempre que uma oração lhe foi feita depois do 11 de Setembro... para tentar pacificar dores e minimizar os danos realizados com a falta de fé que às vezes estes eventos provocam.
Para mim Deus pode estar em cada pequeno momento... basta sermos observadores! Às vezes estamos tristes e uma música, uns dizem por acaso, toca na rádio... e é aquela música que tanto gostamos e que nos faz cantarolar e dançar... ou então um amigo nos telefona a convidar-nos para um café, logo aquele que de tanto gostamos e que até nos faz rir. E aquelas vezes em que não sabemos algo... ou procuramos algo e ou aparece uma noticia na televisão a esclarecer-nos ou pela boca de alguém, às vezes duma conversa entre desconhecidos, sabemos a resposta.
Para mim isso é ter Deus na nossa vida... Estar atento e seguir o caminho da honestidade e do bem... e muito importante: ajudar os outros. Se não tivermos bens, não faz mal... a ajuda não é só material... não imaginamos o que a boa disposição e um modo de estar positivo pode influenciar quem nos rodeia!
Deus esteve a ver o 11 de setembro... e vê todos os dias as atrocidades que acontecem com animais, com crianças... com a natureza... e fica tão triste!!! Mas fica imensamente feliz quando vê os bons gestos... que a bem ver também são muitos. Às vezes não temos a mesma forma de ver as coisas boas e as coisas más. As más são mais fáceis de marcar.
Eu acredito que isso é que o faz continuar... se só houvessem onzes de Setembro, ou Guerras do Iraque (Sim porque mataram compatriotas nossos, a solução encontrada é matar os compatriotas dos outros que nos fizeram mal! Que virtuoso!!!) já Deus tinha-se desiludido com a sua criação, amachucava-nos, mandava-nos para o lixo... e avançava para uma nova criação...
Bem hajam os bons corações :)

Escrever...

Palavras fluem esquecidas
... dentro do meu ser.
Não perdi a vontade de criar
... morreu a vontade de exteriorizar... escrever!?

Qual água estagnada,
páginas infindáveis dum livro por ler.

Papel e caneta perdidos
Incompetência duma mão,
desencontrada com o pensamento... com o coração!

terça-feira, setembro 04, 2007

O meu quase acidente!

Primeiro de tudo peço desculpa da minha ausência prolongada! Mas as atribulações que a vida me impôs entretanto não me permitiram dedicar-me ao blog.
Vou tentar, no entanto, nos próximos tempos ser mais "atinada"... mas só no que diz respeito ao blog :)

Em Julho, num daqueles dias de chuva fora de época ia tendo um acidente de carro que podia tornar-se perigoso e muito dispendioso.
Ia a caminho do trabalho de manhãzinha e tinha começado a chover, daquela chuva que muitos chamam de "chuva molha parvos". Já agora um parêntesis, não percebo esta expressão, "chuva molha parvos", somos todos parvos porque todos nos molhamos, embora a chuva seja pouca, ou parvos são aqueles que ao verem que a chuva é pouca não levam o chapéu e mesmo assim ficam todos encharcados?! Se alguém souber o significado agradeço que mo diga! Às vezes tenho uns ataques de curiosidade estúpida.
Mas continuando... eu até ia bem devagar quando o meu carro em vez de fazer a curva foi em frente (Parecia que o meu Bogas tinha ido de férias para a neve e em vez de pneus andava agora com esquis).
Eu, instintivamente, qual ás do volante, para não ir em direcção ao jardim que parecia cada vez mais próximo, tentei virar o volante devagarinho e reduzir. Muito má ideia!!!
Resultado: fiz dois piões na estrada até que o pneu detrás, do lado direito, bateu no passeio e fez, para minha alegria, parar o carro.
Nem imaginam, parecia que estava num carrossel! Então para mim, nada dada a acrobacias automóveis!?
Eu estava a ouvir música... e tudo começou a assemelhar-se a uma cena dum filme. Deixei de ouvir e tudo parecia ocorrer em câmara lenta.
Eu só pedia que não aparecesse um carro na estrada, nem que batesse nos carros que estavam estacionados no passeio contrário ao jardim. E lá me ouviram!!!
Os meus pensamentos na altura: "oh meu Deus o jardim... NÃO... ai os carros estacionados ('Tou PIIIIII!), ai se vem um carro!!! Ai, ai o jardim outra vez... oh não, afinal vou bater nos carros!!! E depois uma branca... no momento em que percebi que o carro tinha parado.
Só vi duas pessoas de boca aberta, enquanto eu tentava recuperar o folgo. Depois com muita descontracção voltei à estrada, estacionei junto ao trabalho, diga-se que isto não são mais de 300 metros... e fui confirmar se realmente o carro não tinha nada, de tão atordoada que estava!
Eu ia morrendo do coração... a sério, mas no final tudo não passou dum susto!
Desde Janeiro de 2004 que faço aquele caminho praticamente todos os dias e nada aconteceu. Mas muitos foram os avisos de que aquela curva era muito perigosa (agora sim percebi!).

PS. Ficou agora a saltitar na minha imaginação, o meu bogas plantado no jardim, qual flor a desabrochar... ou então encavalitado em cima de três ou quatro carros, qual monte de lata amontoado a que alguns iriam com certeza chamar de arte pós-moderna!?

Isto é que é um verdadeiro filme... suspense, quase drama... comédia, para quem imaginar a minha cara... ah e baseado em factos verídicos!
Até tirei uma foto para a posteridade :) LOL
Estas são algumas das marcas dos meus pneus na estrada:

terça-feira, junho 05, 2007

Leitura de Aura - Partilha de experiência


A 24 de Fevereiro fiz a minha primeira Leitura de Aura e digo-vos que foi um momento marcante para mim.

Mas primeiro vamos tentar perceber o que é exactamente a Aura e no que consiste a Leitura de Aura. A Aura é um campo de energia carregado de informações múltiplas provenientes do nosso Espírito. Não existem auras iguais e a aura de cada pessoa muda consoante o estado de espírito-corpo-mente-emoções.
Uma Leitura de Aura é uma conversa de espírito para espírito, em que o espírito do "consultante" permite que o "leitor" capte imagens cruciais para o seu processo de crescimento e transformação.

Relativamente à minha leitura de aura.
Descobri que a minha alma já tem 95% de desenvolvimento, o que quer dizer que já tenho uma alma muito velhinha. Mas estes 5% que me faltam de evolução podem levar uma infinidade de encarnações.
O meu relógio do espiríto e o do corpo estão desfasados, noutras palavras, a minha alma já tem as ferramentas e a sabedoria de que precisa para fazer o que quer, enquanto o meu corpo está perdido entre o que quer aprender e o que quer fazer. Foi-me dito que para acabar com este desfasamento tenho que trabalhar com as mãos... canalizando a minha criatividade. Mas até agora não encontrei solução para o fazer. Se alguém tiver ideias?!
Tenho um canal de comunicação directo com Deus, mas não estou a usá-lo da forma que o devia usar. E isso eu própria sinto. Sei que tenho que me dedicar mais, estudar mais... para aprender!
Foram-me contadas duas reencarnações! Uma já muito remota e outra mais recente, provavelmente do inicio do século XX. O objectivo de me serem reveladas estas encarnações foi relembrar-me os ensinamentos alcançados, por serem extremamente importantes para a minha presente vida. Estes ensinamentos foram a procura da verdade e a confiança nos meus instintos e conhecimentos.
Foram-me ainda revelados outros pormenores que não são nem pertinentes nem interessantes de partilhar...

Mas acima de tudo o que vos queria dizer é que adorei a experiência... quero repeti-la lá para o inico do ano e incentivo quem tenha curiosidade em descobrir algo mais sobre si próprio.
Vale a pena... a única desvantagem é o valor que normalmente se paga pela leitura de Aura, mas investiguem vários locais.

Muita luz e muito amor!!!

quarta-feira, maio 30, 2007

Fases!

Há momentos em que estou mais espiritual do que outros!
Presentemente estou num momento de deriva... sei para onde quero ir, mas está-me a faltar a motivação... e tudo o que tem a ver com a não espiritualidade parece requisitar-me. Sinto-me sem tempo para nada!!! Principalmente para me dedicar ao desenvolvimento da minha espiritualidade. Sei que também o estou a fazer diariamente através dos meus actos para com os outros... então no meu contexto de trabalho não é nada dificil. Mas sinto que tenho que fazer muito mais! Não sei explicar, mas é como se não estivesse a aproveitar nem a 20% uma arma que tenho a meu poder. E isso não é uma atitude nada inteligente...
... Tenho praticado pouco Reiki, me instruído pouco... e continuo sem dinheiro para investir no meu curso de Tarot.
Sei que tenho coisas para fazer... só tenho que respirar fundo e ir à luta... os progressos virão com certeza no seguimento... e mesmo que não consiga concretizar tudo duma vez... passinho a passinho hei-de lá chegar!!!
Fique aqui admitido que este post foi escrito por mim para mim. A ver se a minha consciência me dá um ponta pé no rabiosque... e eu ponho mãos à obra!!!

quinta-feira, maio 10, 2007

Meu amor... meus amigos...


"O valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso, existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis."
Fernando Pessoa

A Nelly Furtado agora tem uma música em que põe a questão retórica: "Porque é que todas as coisas boas têm um fim?!"
Não sou nada apologista desta perspectiva...
Tudo na vida é um ciclo... de inicio e fim, nascimento e morte. Há coisas boas que até acabam, mas outras novas começam... sempre!!! Só temos que nos esforçar para semear coisas boas... além disso temos que aprender a olhar da forma certa e para os sítios certos. Aí de certeza que vamos notar quantas coisas boas nos acontecem diariamente!
Além do mais na nossa memória... no nosso coração... as coisas boas, mesmo que até tenham um fim, ficam perpetuadas.
Este carácter cíclico até é bastante apelativo se pensarmos naqueles períodos menos positivos da nossa vida... pois sabemos sempre que não tardará muito para tudo mudar! Como se costuma dizer, à noite sucede-se sempre o amanhecer!

Mas eu decidi escrever este post com um objectivo, homenagear a pessoa com a qual partilho a minha vida, o Francisco, e os meus amigos (não vou mencionar nomes... é desnecessário... quem é sente-o!!!)
Realmente a vida tem-me sido muito favorável neste sentido... tenho a fortuna de me ter cruzado e continuar a cruzar com pessoas extraordinárias.
Sou uma verdadeira afortunada!
Com vocês passo momentos inesquecíveis... acontecem entre nós coisas inexplicavelmente belas... e sabem porquê? Porque vocês são pessoas incomparáveis!!!
Só para dizer que vos amo muito e que me sinto lisongeada com a forma como me amam a mim!
Estarei sempre aqui para vocês... mesmo que esteja mal, sobrará sempre uma réstia de força para vos puxar para cima! Porque vocês são a fonte de toda a minha força...
E para merecer o vosso amor, sorrio para a vida, sem me preocupar com o amanhã; luto com unhas e dentes por aquilo que quero; e tento-me tornar a cada dia num ser ainda melhor.
Obrigado por tudo...

"A alegria adquire-se. É uma atitude de coragem. Ser alegre não é fácil, é um acto de vontade."
Gaston Courtois

quarta-feira, maio 09, 2007

E vocês acham que nós, mulheres, compreendemos os homens!?!

Uma noite destas fui sair com o meu padrinho fofo, o Hugo (Uma beijoka bem grande para ele!), mais umas amigas dele.
Uma noite em que, verdade seja dita, não estava com grande disposição... mas que depois, contas feitas, acabou por ser... digamos... engraçada!
Fomos ao Autódromo do Estoril com o objectivo de ir a uma festa do RS Klub, uma discoteca da margem sul, na Costa da Caparica.
Deixamos o carro super longe, porque estavam imensos carros e imenso trânsito. Depois esperamos uma eternidade... pelas amigas do Hugo... sim porque para mim, com falta de paciência, 1 hora e tal é uma eternidade!!!
Quando elas chegaram passamos por uns seguranças onde tinhamos de mostrar o convite e seguimos para a entrada. Novidade fantástica?! Não podiamos entrar porque o local estava lotado...
Antes de contar a restante noite, gostaria de aconselhar, porque até pode ser que chegue aos ouvidos de alguém responsável, em futuros eventos tenham em conta a lotação do espaço comparativamente com o número de convites distribuidos, pois isto para a imagem do RS não é assim tão bom!?
Depois de batermos com o nariz na porta, lá fomos outra vez a pé para o carro para irmos ao Coco Louco em Cascais. Ui que bom!!! LOL! Eu já lá tinha estado há alguns anos, embora a casa tivesse outro nome, e já não tinha gostado muito... a partir desta noite tive a certeza de não querer lá voltar a pôr os pés. Muito mau mesmo! Putos... Cromos... Tonys... música de treta... e nem pensem que posso estar a exagerar, numa discoteca às 4 da manhã a passar uma música mixada com uma música dos Xutos e Pontapés!? Numa discoteca!?!
A cereja em cima do bolo... nem sequer dava para me embebedar para esquecer... pois os preços que lá se praticam são para lá de caros!!!
Outro fenómeno a registar sobre a noite... a repetição contínua, por parte de diversos espécimens do sexo masculino... nem sei se chame homens ou não... da frase "Granda Rabo!!!", dirigida a mim... Tal e qual!!! Como se tivessem combinado uns com os outros...
Até o meu padrinho ficou espantado com tal fenómeno...
Surgiu entretanto a conversa de que o Seinfeld no final da sitcom dele já tinha dado uma explicação para este tipo de comportamento. Este dizia que os homens só tinham estes comportamentos, que eu só posso apelidar de desfasados e desiquilibrados, porque não sabem como agir perante as mulheres!
Oh meu Deus! Por favor...
Eu gostava de dar uma novidade aos homens. Nós mulheres também, no fundo, não vos compreendemos!
Principalmente quando se remetem ao silêncio... ou simplesmente se afastam, sem explicação aparente. Como se nós devessemos ler-vos os pensamentos. É verdade que se fala do sexto sentido feminino, mas sexto sentido não é sinal de telepatia!?!
E como é que é possível compreender um "Granda Rabo!!!", será alguma forma de aumentar o ego, de libertar o stress, de gerir o descontrolo dos níveis de testosterona??? Eu gostava de compreender sinceramente...
Eu optei, desde há algum tempo... em não generalizar as opiniões em relação aos homens. E acho que era o que vocês, homens, deviam fazer relativamente às mulheres. Somos tão diferentes uns dos outros... não por uma questão género, mas porque essa é uma característica inerente ao ser humano. Cada um de nós é um ser único e altamente complexo... pela personalidade, pelos conhecimentos, pelo meio em que vive... e tantos outros factores!
É por isso que seria melhor cada um de nós ter abertura suficiente para assumir o porquê das suas atitudes e comportamentos. Não é por nada que se está sempre a falar da importância da comunicação...
Assim seria bem mais fácil nos compreendermos uns aos outros...

sexta-feira, abril 27, 2007

De sorriso nos lábios!!!

Decidi fazer um post novo só para avisar que continuo de sorriso nos lábios... com a minha atitude de sempre perante a vida: a do optimismo e a de vontade de chegar mais além.
A Rita, uma amiga já de longa data e que chegou até mim porque um primo dela e a minha irmã se apaixonaram, casaram, tiveram filhos... and so on... mostrou alguma preocupação quando leu os meus últimos posts.
Então, não vá haverem preocupações similares, cá estou eu para esclarecer a situação.
Há momentos na vida que devem ser de reflexão. E eu estou a passar por um desses momentos! Sinto-me claramente voltada para mim mesma, talvez porque durante algum tempo andei distraida com a rotina da vida pessoal, social, profissional... e fui deixando de pôr a conversa em dia comigo própria.

Isso não quer dizer que ande deprimida... ou algo do género! Quer dizer que num curto espaço de tempo me apercebi que tenho tantos, mas tantos defeitos... tanto a aprender, tanto que crescer e tenho tanta, mas tanta conversa para pôr em dia comigo mesma... ui!!!
Não quer dizer que tenha deixado de ser a pessoa que conhecem, nada disso! É só provável que nos últimos tempos me conheçam melhor que eu, porque eu, embebida no meu dia-a-dia, nas minhas acções e vivências me fui esquecendo de parar e olhar para mim... para quem sou!
Não é possível pôr um letreiro pendurado ao pescoço a dizer "fechada para obras", nem carregar no botão "PAUSE", por isso algumas coisas estão a ficar menos prioritárias... mas tem de ser, encontro-me a trabalhar sobre mim mesma.
Beijos ENORMES... muita luz!!!

"Um sorriso significa muito. Enriquece quem o recebe, sem empobrecer quem o oferece; dura apenas um segundo, mas sua recordação, por vezes, nunca se apaga."
Autor Desconhecido




quinta-feira, abril 05, 2007

Aceitar-me como sou!


Sei o que quero, só não sei como lá chegar...
... Só o tempo me trará as respostas de que necessito!!!

"Para quem sabe esperar, tudo vem a tempo." Clément Marot

Quando páro para reflectir, sinto que tenho medo de não ter forças suficientes e, de certa forma, acho que também não tenho todas as ferramentas de que preciso para chegar mais além... onde sei que tenho que chegar!
O que sinto é que no momento certo todas as dúvidas se dissiparão e então só terei de caminhar na direcção correcta...
Tive que me aceitar como sou... e agora tenho que fazer com que sejam os outros a me aceitar tal e qual como sou! Mesmo que pareça dificil! Mesmo que o caminho que eu quero seguir não seja muito convencional...
Sei que, para algumas pessoas, certas coisas podem ser duras de aceitar... as expectativas que tinham em relação a mim seriam com certeza diferentes.Mas têm que perceber que para eu ser feliz tenho que ser fiel a mim mesma e ao que de dentro de mim se diz! Assim quem gosta verdadeiramente de mim permacerá a meu lado...
Sempre senti que era diferente! E para uma criança acreditem que isto pode ser uma sentimento muito estranho com que lidar! Acho que fui encontrando subterfúgios atrás de subterfúgios para o esquecer.
Quando eu aqui digo que sou diferente, não é no sentido de ser mais ou menos especial do que qualquer outra pessoa. Isto porque, para mim, todos somos especiais e únicos, todos temos uma personalidade distinta e uma missão de vida a cumprir, mesmo que a maioria até possa estar completamente alienado disso. É no sentido do que é considerado pela sociedade como convencional...
Percebo agora que, por mais que deseje e tente ser convencional, isso só me vai magoar mais...
Tenho que reaprender a ouvir a minha voz interior... sei que é esse o caminho...
Deus me ajude!!!

quarta-feira, abril 04, 2007

Fé!

Lembro-me do poder da fé que existia em mim! Mesmo sem conhecer qualquer oração ou reza... sem participar em qualquer cerimónia ou ritual...
Nas minhas próprias palavras falava com Deus e sentia que era ouvida.
Um encontro com a morte... a do meu pai... fez com que a revolta e a descrença até a última gota de fé secassem e um deserto nascesse em mim!
Sei que aos poucos alguma fé foi renascendo cá dentro, criando pequenos oásis de esperança... Mas tão pequenos e dificeis de encontrar...
Gostava tanto de sentir de novo o pulsar da fé no meu coração!
Gostava tanto de sentir de novo que as minhas palavras eram ouvidas.
Sei que é por ter perdido a capacidade de falar com o coração que as minhas palavras já não chegam ao céu. Ficam a ecoar na minha cabeça, como preces mudas de sentido... mensagens que não chegam ao seu verdadeiro destino.
As feridas que me foram inflingidas não foram fatais, curaram aos poucos! As marcas, no entanto, ficaram...
Desde então caminho mais como uma morta viva... movida pela mente, não pelo coração.

terça-feira, abril 03, 2007

Lado Negro...

O meu lado negro estava tão bem escondido que já nem eu própria o conseguia encontrar.
Encerrado a sete chaves, passou a encerrar igualmente aquele lado mais iluminado... como se de uma maldição sofresse!!!
Como qualquer outro ser tenho imperfeições e embora o assumisse, sinto agora que era só da boca para fora, pois no fundo fazia questão de esquecer que podia ter todas aquelas imperfeições que sempre achei tão temidas.
Agora sei, também posso chorar, também posso perder o controlo, também posso falhar... como ser humano que sou...
Só não percebo que pacto de tão pouca inteligência fiz comigo mesma... e com tão elevados custos!?!
Resta-me livrar desta máscara...


Tornei-me tão boa actriz que até eu própria me assumi no papel representado... esquecendo que duma personagem se tratava. Talvez por muito de genuidade aí existir, o verdadeiro com pitadas de falsidade se confundir...

sexta-feira, março 30, 2007

Estou partida... por dentro!

Sinto-me partida...
Não sei em que batalha me feri... ou se foi uma queda em que me deixei quebrar!?
Só sei que ninguém tem culpa... nem nada de especial aconteceu...
Tem a ver comigo e só comigo!
... Mas sinto-me partida por dentro...

Nunca fui boa a exprimir as minhas dores... os meus medos... os meus sentimentos. Devo ter nascido com a peça da expressão emocional partida! Só assim consigo explicar a dor que sinto cá dentro e a incapacidade de me expressar...

Tento-me fazer esquecida... abafando o coração... que então desesperado decide gritar comigo e fazer-me doer tanto cá dentro que é impossível continuar o meu caminho sem vacilar... ( como hoje!)
Só sei que me sinto de rastos... a dar cada passo com cada vez maior lentidão... cedendo à dor, cada vez mais forte! Só sei o quanto doí cá dentro! Uma dor tão forte e aguda que sai de dentro para fora de mim... que até me custa respirar.
E se eu ceder, o que vai acontecer?!?
Não sei se quero saber...
Por isso vou continuar a lutar com todas as forças que me restam... passo a passo...

Sinto-me uma boneca de retalhos que Deus lá decidiu tirar da caixa dos artigos com defeitos e dar-me vida!!!


quarta-feira, março 21, 2007

Desligar a ficha!

Como Fernado Pessoa da sua forma especial explica, às vezes é tão bom deixar o tempo passar... não pensar... não cumprir...
E há momentos em que é mesmo preciso fazê-lo...

... Desligar...
Como uma amiga minha costuma dizer: desligar a ficha! (Um beijo bem grande para ti, Elka!)
Seja pelos exaustos e desgastantes dias de trabalho... em que tudo tem que ser levado com um sorriso, mesmo quando nos apetece fazer uma coisa completamente distinta e que às vezes até incluiria uma certa dose de violência... só uma pitadinha claro!!! Em que tudo é um dever a que não se pode fugir... há que cumprir! Quem fala do trabalho, fala daquelas obrigações que vamos acumulando na nossa vida e que sem notarmos nos tornam escravos...
Ou então por aqueles problemas que surgem e nos vão acompanhando... e por mais que se faça, continuam a soar na nossa mente, como se tratasse duma música de fundo, impossível... ou quase impossível de desligar...

A minha receita para desligar a ficha

Ingredientes:
Uma dose completa de amigos, bem divertidos.
Uma dose q.b. de copos
Um ambiente acolhedor e com música bem ritmada.

Preparação:
Juntar a dose de amigos à dose q.b de copos. Levar a marinar num local com ambiente acolhedor e com uma música bem ritmada, o tempo suficiente para que o espírito esteja pronto a dançar as horas que lhe apetecer.


Hão-de experimentar! Mas nada de fazer batota... têm que desligar a ficha COMPLETAMENTE.
Não é abanar o corpo ao som da música e deixar continuar a mente a divagar! É entregar o corpo ao ritmo... e deixar a alma e o coração sentirem...
Para mim dançar é das maiores sensações de liberdade que existe... à mistura com os amigos e os copos... é com certeza a minha forma de desligar a ficha.
Porque de nada vale levar a vida acorrentados às obrigações e porque há coisas que por mais que se pensem ou se conversem com os amigos ou connosco mesmos não passam do mesmo mexe e remexe...

Tentem descobrir a vossa receita para desligar a ficha... pois pode ser realmente importante!!!

terça-feira, março 13, 2007

Cordas que nos prendem…

Há muitas coisas, mesmo que imaginárias… mesmo que inconscientes, que não nos deixam fazer aquilo para que verdadeiramente nascemos… nem nos deixam fazer aquelas coisas tão simples que nos fazem tão felizes.
A sociedade e as suas exigências, os nossos traumas e medos… as nossas feridas… o tempo disponível… são tantas!!!
Ultimamente tenho-me debatido tanto com a corda do tempo disponível que não tarda estou tão emaranhada que não me consigo soltar.
Tenho uma ânsia dentro de mim que me faz sentir desiludida com o modo como vivo o meu dia-a-dia. Sinto que preciso de ter tempo para tanta coisa… e depois no final de cada dia reparo que não fiz metade. E isso faz-me sentir entristecida…
Estou num momento de introspecção, mas não encontro tempo para parar e simplesmente conversar comigo mesma. Sei que tenho que trabalhar tantas coisas em mim… e em vez de o fazer perco-me na rotina, sem o conseguir…
Depois sinto uma vontade extraordinária de sair com os amigos… redescobri-los… tudo ao mesmo tempo! Talvez porque na (re)descoberta do outro te vais mostrando a ti mesmo…
O nível II de Reiki e a leitura de aura, que fiz no dia 24 de Fevereiro, mexeram muito comigo… muito mesmo… não posso dissociar isso do que está a acontecer…
Precisava dumas férias para conseguir pelo menos colocar a conversa em dia comigo mesma, para depois voltar ao trabalho e encontrar uma forma de gerir o tempo… de modo a equilibrar os vários segmentos da minha vida.
Mas como isso não é possível, tenho mesmo que me entender com a corda do tempo… e com todas as outras que me vão prendendo, não me deixando fazer aquilo que tanto preciso para evoluir… pelo menos para ficar bem comigo mesma…
Deus me ajude a ter forças para conseguir…



terça-feira, março 06, 2007

Palavras sábias...

Palavras de Buda Shakyamuni proferidas momentos antes da sua morte:

“Não aceites as minhas palavras pela fé nem acredites nelas simplesmente porque eu as disse.
Sê como aquele que compra ouro: analisa quem fez o corte, o trabalho que realizou e efectua um exame critico à autenticidade do produto.
Aceita apenas aquilo que passar neste teste pessoal, tudo que seja útil e benéfico para a tua vida.”

Tenham cuidado com os conselhos e acima de tudo com as pessoas que mesmo inconscientemente vês como modelos ou como mestres...

quinta-feira, fevereiro 22, 2007

Bagagem do passado!

O tempo passa e as pessoas ao invés de darem um passo de cada vez e notarem as possibilidades e as potencialidades de cada passo que dão, de cada pessoa com que se cruzam... tendem a arrastar-se, cada vez mais devagar e com cada vez menos animo para dar o próximo passo.
... É como se fossem toldados pelo peso que carregam às costas: todas as mágoas, as feridas e as dores do passado.
"A vida é como uma pedra de amolar: desgasta-nos ou afia-nos, conforme o metal de que somos feitos." George Bernard Shaw
O passado acompanha-nos sempre, é inevitável... mas deve acompanhar-nos num bom sentido. Deve-se reflectir e resolver tudo o que se vivencia. Assim ficam as aprendizagens! Os factos em si, as marcas, as frustrações dissipam-se...
Fica mais espaço para viver o presente... para sonhar e para lutar pelo que realmente se quer alcançar. Tornamo-nos mais espontâneos e mais abertos à vida... e quanto mais abertos à vida... mas ela nos dá...
Às vezes damos conta de como é inacessível aquela ou outra pessoa! Não é de admirar! Com tudo o que viveu, sofreu, perdeu... é difícil haver lugar para nós!
Mas estas pessoas tendem a estagnar... como se nada se passasse nas suas vidas e quando se passa, pouco ou nada de bom...
Como o Paulo Coelho afirma:
" Seja como uma fonte que transborda e não como um tanque que contém sempre a mesma água."

sexta-feira, fevereiro 16, 2007

Pontos de vista!


Lá fora há muitas nuvens escuras que correm em direcção ao desconhecido... numa corrida desenfreada!
Têm tanta pressa de chegar que deixam um rasto no céu para que as que fiquem para atrás as consigam alcançar...
Algumas, não as conseguindo acompanhar, cansadas e aborrecidas, páram e não aguentando mais guardar para si a frustração e a dor... choram e choram e choram...
Nós, cá bem embaixo, pensamos: "Ohh, está a chover!"
Compadecidos, inconscientemente, temos a tendência de nos entristecer em dias como estes... em que as nuvens choram por não vencer!

quinta-feira, fevereiro 15, 2007

O nosso mundo está mais rico!

Quero dar as boas vindas ao Rafael, o meu sobrinho!
O nosso mundo ficou mais rico a partir do dia 11 de Fevereiro às 7h00... o momento em que este ser de luz nasceu.
Ironicamente no dia do Referendo do Aborto!
Como qualquer que seja a criança que vem a este mundo, escolheu a família de acolhimento e prepara-se para nos ensinar muitas coisas e nos trazer noticias bem fresquinhas do reino dos céus.
Há que estar desperto para as pequenas coisas que eles nos querem mostrar... pois por vezes têm mais eles coisas para nos ensinar do que nós a eles.

Uma das nossas tarefas será claramente ajudá-los a adaptarem-se a este nosso peculiar mundo da matéria...

Oiçam o coração!

A vida fez com que me cruzasse com uma pessoa que tarde se iniciou no dito caminho espiritual, mas quanto a mim mais do que a tempo! Nunca é tarde...

Costuma-se dizer que se recebe na proporção em que se quer receber... se apenas estás aberto e desperto ao mundo da matéria... apenas matéria receberás, se estiveres desperto ao mundo espiritual, este abrir-te-á as portas e além de matéria, todas as dádivas ligadas a este mundo "mágico" estarão ao teu alcance.
A partir do momento em que o espiritual é mexido, podem ocorrer imensas mudanças na nossa vida... por vezes o que era deixa de fazer sentido! Mas para cada um as implicações são diferentes...
Para esta amiga (chamo amiga porque já muitas coisas extremamente pessoais foram compartilhadas) a vida familiar tem sofrido grande conturbação.
Gostava de deixar aqui uma mensagem para ti amiga Júlia, mas como esta, na minha opinião, tem sentido para todos, duma forma geral, divulgo aqui no blog e depois encaminho para ti.

Existe a tendência geral de anular a voz do coração. É a integração do nosso ser na sociedade que faz isto... os deveres que vamos assumindo perante os outros impõe-nos isso... a família, a escola, o trabalho, os amigos. Tudo repleto de regras e de pessoas totalmente diferentes e com exigências completamente distintas.

Chega a um ponto em que estamos comprometidos com tanta gente e consequentemente temos que nos adaptar a tanta gente ... que perdemos muito da nossa identidade pessoal e até do tempo que temos para dedicarmos a nós próprios.

Do nada sei lá quantas pessoas têm a tendência de cobrar a nossa falta em determinadas circunstâncias... acima de tudo temos que assumir a nossa individualidade. E isto não se trata de egoísmo! Dar de nós aos outros... sim, ajudar... claro que sim! Mas agora deixar de fazer o que nos apetece ou aquilo que é essencial ao nosso bem estar, NÃO! Pelo menos não consecutivamente. Assim é que acabamos por abafar a voz do nosso coração. Primeiro com isso e depois com a tendência que criamos para racionalizar tudo.

Nós queremos tirar um momento para nós para ir até à praia reflectir... libertar-nos do peso que vamos acumulando diariamente, mas depois vem a mente "Não, não pode ser" ... tens que ir fazer o jantar, tens que estar com um familiar doente, noutras palavras, temos que fazer tudo menos o que o nosso intímo pede. Depois é quando tomamos uma decisão sobre o nosso rumo... não pode ser, não fica bem, não tem a ver com o meu percurso até agora, gostava, mas é muito arriscado, posso-me magoar.

O problema é que os custos de se fazer isto são demasiado elevados, pelo menos a médio e longo prazo. Uma ou duas vezes não o fazer pode não ter consequências, agora consecutivamente...

O que fazemos quando alguém que constantemente contraria o que dizemos e não nos ouve verdadeiramente? Afastamo-nos e deixamos de falar com esse alguém! O nosso coração faz o mesmo connosco. Fala e fala... e tenta e volta a tentar, depois cala-se!
Não quer dizer que ele vos abandone definitivamente, mas fica quietinho e bem calado à espera que lhe vão pedir auxílio de novo.

Basta olharmos para as crianças... são capazes de gestos e de palavras fantásticos. Nós eramos assim! Dizem inclusivamente que as crianças são capazes de ver os anjos. Nós perdemos isso tudo porque nos complexamos e nos intelectualizamos em demasia. Vemos com os olhos... e esquecemo-nos de como é ver com o coração.

A par disso também anulamos a nossa criatividade que é duma riqueza extraordinária. Ou seja, pelo caminho... enquanto avançamos na nossa vida terrena, perdemos uma grande parte do nosso valor... E não é esse o objectivo... é ganharmos e não perdermos!
Daí o meu desejo tonto de manter sempre viva a criança que ainda sei que existe dentro de mim.

Um beijo grande para todos e um muito especial para a Júlia.

segunda-feira, fevereiro 05, 2007

Iniciada no 2º nível de Reiki

Este Sábado, dia 3 fiz finalmente o Reiki II.
Agora tenho imensa coisa para interiozar e mais ainda para praticar.
Gostaria muito de me tornar terapêuta de Reiki, mas a meu ver há ainda um longo caminho a percorrer. Isto, embora já nos tratem à partida como terapeûtas a partir do 2º nível.
Eu aguardo expectante o desenvolvimento...
A iniciação que me foi feita foi indescritível! Tive sensações extraordinárias... e inexplicáveis. Foi simplesmente maravilhoso!!!
No Domingo já mandei Reiki à distância e senti a energia a fluir. Quero ver se pratico todos os dias e embora neste nível não haja auto-cura, quero fazê-la novamente, utilizando os símbolos que agora me foram sintonizados.
Outra coisa de que me dei conta é que tenho que ganhar motivação para meditar, pois é muito importante para o meu desenvolvimento. Para isso tenho que me auto-disciplinar, o que se diga de passagem, vai ser uma grande luta!

Descobri uma coisa engraçada, sobre a qual tenho que investigar mais para compreender melhor o significado. Tenho cor de nascimento Dourada, o que ao que parece é indiciado pela data de nascimento, através da numerologia. Esta cor indica uma tendência muito grande para a espiritualidade, o que realmente vai ao encontro dos meus anseios e curiosidades. Além disso, diz-se que estes seres buscam a perfeição e que pouco os satisfaz, o que os pode levar a um caminho errado, embora, caso consigam gerir de forma positiva estas tendências, se tornem geralmente em grandes mestres.

Apenas quis partilhar convosco este novo passo dado... depois vou compartilhando progressos e percalços, porque ao que parece o Reiki II tem a tendência de abalar a vida das pessoas e por vezes a própria pessoa... mas todos de modo diferente!

sexta-feira, fevereiro 02, 2007

O mundo que temos...

Devemos reflectir que mundo já temos e que mundo vamos deixar aos nossos filhos e aos filhos dos outros.
Tenho um sobrinho quase a nascer, duas que já andam por cá há algum tempo, mas que, e graças a Deus, ainda não devem ter sentido na pele os dissabores da vida humana. Filhos ainda não tenho, mas há medida que o tempo passa dá-me para reflectir cada vez mais nas implicações de se trazer um filho ao mundo.
Acho que a vida é uma dádiva maravilhosa... se a soubermos aproveitar e viver num bom sentido. Caso não o façamos, arriscamo-nos a sofrer muito e a ver a vida mais como um pesadelo do que como uma dádiva.
É claro que todos temos os nossos momentos altos e os nossos momentos baixos. Percalços são muitos aqueles que se atravessam no nosso caminho, mas é o espiríto com que encaramos todo o percurso que vai resumir se conseguimos ser tendencialmente felizes ou tendencialmente tristes.
Eu considero que sou definitivamente tendencialmente feliz e devo-o à minha peculiar forma de encarar a vida. Muito humor... e uma boa dose de loucura à mistura.
É claro que vezes sem conta desanimo, principalmente quando os meus percalços se devem àquela faceta negra que alguns seres humanos teimam em ter, como se isso lhes fosse intrínseco.
Mas a vida continua... e o facto de acreditar que viemos a este mundo com o propósito de evoluir ajuda-me muito a reunir as minhas forças e continuar a ir à luta.
Já percebi que infelizmente não posso mudar o mundo... abulir as injustiças, a pobreza, as guerras...
Mas posso seguir o meu caminho e assim servir de exemplo para os outros... não por quem sou, pois ainda sou imperfeita demais, mas pelo esforço que faço dia-a-dia para me tornar um ser cada vez melhor.
Adoro viver a vida! A essência humana é fascinante, o mar de sentimentos e de potencialidades é infinito... quanto mais se tenta descobrir, mas se percebe o quão ínfimo é o que já descobrimos.
"Há homens com quem se pode aprender a ver aquilo que dentro de nós existe e não sabiamos" Anjo Mudo
É por isto que adoro ler e adoro escrever...
Não devemos desvalorizar aquilo que de dentro de nós brota.
Posso não ser um Gandhi, ou qualquer outro pensador de excelência, mas através da escrita mostro quem sou, compartilho um pouco de mim! E na minha opinião, é esse o sentido da vida: deixar que os outros nos ensinem alguma coisa e nos dêem um pouco de si; dar um pouco de nós e porque não ensinar aos outros alguma coisa através da nossa vivência.
Só pedia que as pessoas parassem para olhar à volta e analizassem se vale ou não a pena assertivamente contribuir para que o nosso mundo seja um lugar melhor. Isto porque quem faz o nosso mundo somos nós.
Se cada vez mais as pessoas se ajudarem e forem boas umas para as outras... se cada vez mais forem positivas e aproveitarem a vida da melhor forma, melhor será este mundinho em que vivemos. Ao invés dum mundo de inveja, egoísmo, ambição desmedida... violência e poder.
Se os outros não são assim e têm mais dinheiro que eu ou até um melhor trabalho, não é uma desculpa aceitável.
A filosofia do "o que está a dar é passar por cima de todos para chegar mais além" não deve ser vista como uma saída.
Se os outros não prestam, temos que ser como eles só porque a nível material eles são mais bem sucedidos?! Não me parece.
Se cada vez mais pessoas mudassem para melhor, estes primeiro tornavam-se numa minoria e depois não tardavam a desaparecer.
É bonito falar, mas mais bonito é fazê-lo!!!
Se é tudo uma questão de espiríto, porque é que no fim de contas tudo reside no materialismo e no consumismo que impera na mente das pessoas?!
Enquanto o ser humano for tão materialista e consumista como é, tudo continuará como está.

Estas são as minhas lindonas, pelo menos por elas e por crianças como elas reflictam!

terça-feira, janeiro 30, 2007

Umbanda

Máxima:

"Dê de graça o que de graça recebeste: com amor, humildade, caridade e fé."

É uma religião brasileira, das mais reverenciadas.
Não existe concenso quanto à origem da palavra Umbanda. Alguns umbandistas insistem em dizer que o termo provém do sânscrito Aum-Bandhu, o que leva a definir a Umbanda como sendo o elo de ligação entre o plano divino e o plano terreno. Sendo AUM o sagrado e Bandhu a vida na terra.
Esta religião surgiu próxima da viragem do século. Zélio Morais incorporou uma entidade que se assumiu como sendo o Caboclo das Sete Encruzilhadas e que veio para oficializar um nova religião a que se chamaria Umbanda. A partir desse momento, fundou-se o 1º Terreiro de Umbanda: "Centro de Umbanda Nossa Sra da Piedade", marcando o ponto de partida oficial deste movimento.
Pode-se dizer que esta religião se fundamenta na junção de elementos africanos (Orixás), índigenas (culto aos antepassados e elementos da natureza), europeus (santos e doutrina católica) e indianos (reencarnação, Kharma e Dharma).
A Umbanda assenta em três pilares: o Amor, a Caridade e a Humildade.
Prega a existência pacífica e o respeito ao Ser Humano, a Natureza e Deus.
É composta por um Deus único que é o criador de tudo e de todos.
Os seguidores da Umbanda, chamados de filhos de fé, reverenciam igualmente entidades superiores denominadas de Orixás. Os Orixás não são deuses como muitas pessoas concebem, são sim divindades criadas por Deus, vibrações advindas Deste que auxiliam os homens na sua caminhada.
A Umbanda ainda engloba os Guias Espirituais que são entidades evoluídas que seguem a orientação e vibração dos Orixás. Estes Guias manifestam-se através dos médiuns que têm a responsabilidade e o compromisso de os servir.
Assim é porque alguns filhos de fé, os médiuns, têm a qualidade de se comunicar com entidades desencarnadas, espíritos ou Guias, seja pela mecânica da incorporação, da vidência, pela audição, psicografia e deste modo realizam trabalhos de cura e ajuda física ou espiritual.
Noutras palavras, esta religião trabalha com entidades do plano astral, de modo a actuar nos centros de força magnéticos das pessoas que vêm em busca de alívio e cura para as suas dores físicas e espirituais.
Tem como lugar de culto o Templo, Terreiro ou Centro que é um local onde os filhos de fé se encontram para realizar as suas sessões, giras.
Se como eu se sentirem fascinados pelo assunto pesquisem, há muita coisa sobre o assunto, principalmente na Internet. Eu só quis dar um cheirinho que pode levar ao inicio de um fascínio ou à pronta rejeição.
Há que ver que mexe muito com crenças e príncipios... pressupostos e preconceitos... muito pessoais.
É costume dizer-se que é difícil acreditar em algo que não se compreende. Pelo menos assim já ficaram com algumas noções.
Acham-se capazes de acreditar? Se forem como eu, de ver para crer, têm que ir mais além... e acreditem que não é assim tão difícil encontrar no nosso país Templos ou Terreiros de Umbanda.
Acreditem ou não, há que respeitar, como qualquer outra religião, desde que esta não seja baseada no fanatismo.
Cada qual tem uma forma de se ligar ao mundo e ao céu (o transcendental/o divino).
O canal do céu não tem nome, aliás assume muitos nomes: Deus Cristão, Alá, Buda, Olurum... tal como as evocações podem ser orações, cântigos, giras, mantras...
"Tudo o mesmo", formas distintas de se denominar e de percorrer o caminho... pelo menos é essa a minha opinião.

segunda-feira, janeiro 29, 2007

Partida...

O mar uma vez mais levou-te para longe de mim.
O meu coração ainda chora, pela dor da partida...

... um abraço... um beijo... olhares tristes e lacrimejantes... um aperto no peito.

Amanhã eu sei que estas lágrimas enxugarão
e então virá de novo a alegria,
alimentada pelo nosso amor!

... uma carta... um telefonema... uma fotografia... um aconchego no peito!

Uma só certeza
... a força do nosso amor é bem mais forte do que três meses de distância do meu corpo em Lisboa ao teu na Madeira...
porque os nossos corações, esses encontrar-se-ão constantemente a meio caminho.

quarta-feira, janeiro 03, 2007

Faceta oculta... ou talvez não!

Cada vez mais sinto dentro de mim uma espécie de chamamento que me quer levar para longe daquilo para o qual estudei, pelo menos no sentido convencional.
É algo que nem eu sei explicar bem. O domínio dos sentimentos é sempre difícil de passar para palavras!
Desde sempre me lembro de sentir que a única coisa que daria sentido à minha vida seria ajudar os outros. Só assim me sentiria preenchida! Talvez por isso tenha seguido Psicologia Social e Organizacional. Mas o que acontece é que tudo isso me satisfaz cada vez menos. E menos ainda me apetece procurar algo diferente no mesmo âmbito!
Quero manter, no entanto, o contacto com o mundo profissional convencional, ao nível educacional e da formação profissional... áreas que me dão um gozo enorme de trabalhar.
De resto cada vez mais sei que o quero é seguir o dito caminho espiritual.
E obstinada como sei que sou quando coloco algo na cabeça... pouco ou nada há a fazer senão lutar para o conseguir.
É difícil para mim conseguir negar o que sinto!!! As pessoas que se têm encontrado comigo no âmbito da espiritualidade, têm-me sempre vindo a dizer que dificilmente vou conseguir negar isto... porque é forte demais!!! Nos últimos tempos, talvez desde que fiz o Reiki, começo a perceber o porquê!
Só gostava que fosse mais fácil... já que sei o que quero... ir em frente e pronto! Fosse o que Deus quisesse!!! Mas não posso arriscar tudo e simplesmente avançar. Tenho uma casa e despesas para pagar... uma pessoa a meu lado que não compreende e muito menos concordará com facilidade se realmente seguir este caminho.
Só tenho que encontrar uma forma de com segurança seguir esta minha vocação!
Estou a aguardar que me chamem para fazer o nível II de Reiki e depois tenho que encontrar um local relativamente acessível para fazer o curso de Tarot. Ao longo do tempo depois vou expandindo as áreas de estudo... mas agora tem de ser um passo de cada vez.
Gostava que 2007 marcasse a minha verdadeira entrada no caminho espiritual, porque os primeiros passos sei que já comecei a dar há algum tempo.
Precisava que as portas certas se abrissem, porque até neste mundo existem pessoas duvidosas e como em tudo na vida, nem a todos os métodos nos conseguimos adaptar. Nesta área também não é só fazer os cursos e pronto. Eu pelo menos quero ir um pouco mais longe!
Já algum tempo que me dedico a um espaço de Umbanda, com o objectivo de desenvolver as minhas capacidades de manipulação de energia e a minha mediunidade (que acredito que quase todos, senão todos, as possuem, só não a desenvolvem!). Ajudas preciosas! No entanto, de momento, em termos de aprendizagens, não me estou a conseguir sentir satisfeita... a filosofia do auto-conhecimento, talvez por falta de auto-confiança não está a resultar em pleno comigo. Gostava ou que o espaço que frequento mudasse um pouco a sua filosofia de preparação de médiuns ou que conseguisse encontrar outro espaço que me ajude a crescer mais (se bem que já me apeguei às pessoas que lá encontrei)! O que de momento sinto que está a acontecer com demasiada lentidão e com muitos percalços.
Então, o que peço para 2007, do fundo do coração, tirando aquelas coisas que todos pedimos para nós e para quem gostamos, é que uma luz surja de forma a que eu consiga perceber a direcção que tomar para levar a cabo a minha missão.
Já aceitei que sou diferente, nem melhor nem pior que os outros, somente diferente do convencional. Talvez por isso um pouco louca, já que não me encaixo muito nos parâmetros da maioria.
Agora que o aceitei... só quero ter a possibilidade de seguir o meu caminho!
Já agora um 2007 fantástico, em todos os sentidos, PARA TODOS!!!