terça-feira, dezembro 30, 2008

Um novo ano...

... cada vez mais oiço as pessoas dizerem "Mais um ano"... "Espero que este ano seja melhor"... "Pelo menos que seja igual ao anterior". Isto descrevendo as melhores observações, porque infelizmente o pessimismo reina.
Até eu, que tendencialmente sou optimista... tentando sempre ver o lado positivo de todas as situações, com tantos comentários negros, chego a vacilar. Valem-me os momentos quando saio do trabalho e posso descontrair... sorrir... brincar... sonhar... pois graças a Deus, embora extremamente racional, sou muito sonhadora.
Como qualquer outra pessoa já sofri dissabores... mas há que aceitar que fazem parte da vida. E para que tudo seja mais fácil, pelo menos é essa a minha técnica preferida, aproveito ao máximo as coisas que me dão prazer...
A cada manhã peço para conseguir aceitar os obstáculos e problemas com que me deparo e peço para que consiga vê-los como provas que me permitem evoluir. Mesmo em relação às pessoas que me magoaram ou que sinto que foram injustas para comigo peço para conseguir vê-las como mestres, nunca como inimigas... e desejo com todas as minhas forças para que tenha sempre amor suficiente no meu coração para as conseguir perdoar e não criar nem perpetuar laços kármicos negativos.
A vida no compto geral não é fácil...
... se há coisa que eu desejo é crescer o mais que possa para que o ciclo de reencarnações que me reste seja pequeno. Não consigo de deixar a cada dia de me "desidentificar" um pouco mais com muitas das pessoas ou situações aqui na Terra... daí não ver noticiários... e muitas vezes me isolar de muitos grupos ou evitar determinados locais.
Se não fossem muitas vezes aqueles que me acompanham... aqueles que alguns chamam de guias, outros de anjos da guarda... não sei se seria capaz de levar a cabo esta vida. Eu penso mesmo por vezes que sou um pouco cobarde... mas peço todos os dias perdão por isso... e faço um esforço imenso para a cada dia sorrir para a vida e acreditar que mais um dia da minha vida vou ser feliz.
Já existiram muitos dias em que a única força que me guiou e me conseguiu arrancar da cama e seguir o meu caminho foi a força destes amigos espirituais que se comprometeram a acompanhar-me nesta senda. E que se perguntarem, eu sinto a meu lado diariamamente...
Por outro lado há alturas em que ninguém como eu ama viver. Apaixono-me por momentos... por pessoas... perco-me a dar-me e a beber aquilo que cada uma dessas pessoas me dá como dádiva...
É um misto... misto este que me leva a lutar e a ter a certeza que vou conseguir ser bem sucedida no final das contas feitas.
O que me guia: ser humilde... ter sempre fé... dar sem pedir de volta e receber, dando graças por isso! E muito importante... perceber que mereço as coisas boas que o universo tenha para me dar...
Acreditem 2009 vai ser melhor...

terça-feira, outubro 28, 2008

Apelo à minha criança Interior...


Peço que chores quando quiseres chorar... mesmo que alguém esteja a ver!
... mesmo que nos meus olhos se chore também, por já não aguentar sentir-te chorar dentro do meu coração. As vezes que isso aconteceu... foi puro milagre... e por solidariedade também o céu chorou!
Quero me convenças a vestir uma roupa colorida, mesmo que nenhuma peça conjugue uma com a outra... Quero que rias... grites... gargalhes... pules... dances... desde que essa seja a tua vontade!
Acredita que o ceú pode ser verde... o mar violeta... nem que seja somente na tua imaginação...
Quero que sonhes... de olhos abertos e fechados e me embales nesses sonhos, tornando-os meus também...
Minha Criança Interior... leva-me de mão dada contigo, vamos brincar, neste caminho que nada mais é do que a nossa vida... vamos torná-la mais feliz e divertida!!!

Timing...

É engraçado como cada livro que se lê vem no timing certo. Pelo menos é isso que tenho constatado! Presentemente tive mais uma confirmação...
Comecei a ler "O Segredo de Shambhala" de James Redfield já há algum tempo e até estava a gostar... mas parei... sem saber a razão ou o porquê de parar.
Entre Julho e até há pouco tempo andei numa roda viva, o que eu acho agora que foi um reencontro com a minha criança interior... e que me levou a uma vida uma pouco desregrada! Não sinto que tivesse deixado de contactar com ela, mas foi como se dum momento para o outro, depois duma fase de instrospecção... a deixasse tomar controlo de mim na totalidade.
Reencontrei a minha loucura natural... a minha espontaneidade... o meu gosto pela conversa... pela alegria... pelo deixar fluir naturalmente o dia-a-dia... ir para onde quer que me sentisse bem! Caminhar... sem rumo...
Há uma semana mais ou menos foi me dado o último aviso, através duma amiga. Foi-me dado o conselho de me reequilibrar e fortalecer. Já andava a sentir este chamamento, mas andava perdida nas asas da minha liberdade...
Comecei a ler de novo... "Karma e Reencarnação" de Elisabeth Prophet e Patricia Spadaro e então passei para o tal que falei no inicio do Post. E "O Segredo de Shambhala" tem sido um encaixe constante de coisas em que andava a pensar ou querer saber. Recomendo vivamente a quem se interessa pelas energias e pela espiritualidade...
Vejo-o como sinais de que estou no caminho certo e como fonte onde beber algumas dicas para dar os passos seguintes...
Tenho feito as minhas orações... lido... recomecei a meditar pouco a pouco... tenho feito Reiki a mim mesma todos os dias... deitado e levantado cedo. Até ando a melhorar gradualmente a alimentação... não por me sentir mal, mas porque esta vontade tem surgido espontânea e recorrentemente... reforçada agora com o facto de andar a enjoar e a tolerar mal a ingestão de carne.
Sinto que é isto que devo fazer... como se me estivesse a preparar para algo que aí vem. Vou continuar no meu caminho calma e serena... mas mais vigilante... na expectativa do que virá...
... Sei que serão mudanças e em diversos níveis, em que sentido não sei... mas como todas as mudanças, boas ou más, requerem sempre uma dose elevada de energia da nossa parte sinto que tenho que me aplicar...
Entretanto, aguardo também com curiosidade qual será o livro que será trazido até mim a seguir...

Sabedoria...

“Existem quatro coisas na vida que não se recuperam:
a pedra, depois de atirada;
a palavra depois de proferida;
a ocasião, depois de perdida
e o tempo, depois de passado.”
Almodóvar

Tudo é nossa escolha

O mundo tem as cores que lhe damos... mesmo que por vezes sem querer... como se já fosse natural em nós ver assim...
As pessoas tocam-nos ao ponto em que deixamos (no bom e mau sentidos...),
tal como nós nos damos na conta e medida que decidimos... ainda que de vez enquando pareça que não nos dominamos...
Mas, na essência, tudo é nossa escolha...
Viver não é nada mais do que ser... reagir de acordo com as capacidades, os conhecimentos, os vícios, os hábitos que adquirimos ao longo de todas as nossas vidas... em que muitos foram os rostos... muitos foram os corpos...

Para que cada vez que fiquemos nus de novo... o brilho seja ainda maior!

... saudades!!!

segunda-feira, outubro 13, 2008

Prazer... de viver!

Sexta-feira (que sensação tão boa...)...
Chegar a casa... pousar a mala... tirar as botas...
Mimar o meu gato... que me faz a maior das recepções!!!
Abrir uma garrafa de vinho... e encher um copo...
Ligar o dvd... e escolher 1 cd para ouvir...
É impossível não sorrir...
É impossível não dançar sozinha...
É impossível não valorizar estes momentos só nossos!

Num ritual de comemoração que festeja a vida... o prazer de viver...

Por momentos todos os quero estão comigo, acompanham-me num brinde... que importa ser só na imaginação... ou num recanto do meu coração?!
Todos estão à distância dum telefonema...
... qual solidão!?

Em homenagem à minha Marciana e a todos os marcianos como nós :)

quinta-feira, outubro 09, 2008

Arte...

Os gestos espontâneos que temos para com os outros são formas de mostrarmos quem somos e o quanto gostamos das pessoas...
As palavras também podem fazer mesmo... mas estas têm o dom de ficar marcadas para a eternidade... à mão de semear duma boca que as queira pronunciar... e duns olhos de quem as queira ler...
É esse o encanto da escrita... minha paixão... minha terapia...
Mas se escrever para mim é tudo isto... ler ainda é tão ou mais enriquecedor. E não falo só de autores famosos... há pessoas aos milhões que quando expõem a alma em palavras trazem até nós verdadeiros pedaços do ceú...
Não é por acaso que amo a arte. Amo a arte porque quando alguém tem coragem de se desnudar e mostrar um pouco de si mesma... seja em pintura... ou através da escrita... da fotografia... etc ... é como se por momentos ousassem abrir-nos uma porta... e nos dessem a possibilidade de mergulhar dentro de deles... noutras formas de ver o mundo...

A arte é uma verdadeira ode ao Ser Humano... da parte do Ser Humano que consegue ser mais sublime... mais bela... mais fascinante...
A arte chega a ser para mim uma forma de estar, uma filosofia... de tão inerente que é a cada ser... porque tal como comecei a dizer no início... até nos pequenos gestos que se fazem a quem gostamos podemos fazer arte... pois na simplicidade dos gestos... tal como num desenho... ou poema... mostramos novas formas de expressão...

PARA SER GRANDE
Para ser grande, sê inteiro,
Põe quanto és no mínimo que fazes.
Nada teu exagera ou exclui.
Assim, em cada lago, a lua toda brilha porque alta vive.
Ricardo Reis


Dali

David Fokus

Já agora quem é que não vê arte na forma como uma criança dá uma daquelas gargalhadas sentidas?!

Até na natureza, o próprio modo como esta se expressa, para mim, é arte... um luar... uma onda a rebentar num rochedo...

Assim sendo, a arte não estará nos nossos olhos e na própria forma como olhamos o mundo?!

segunda-feira, outubro 06, 2008



Vagueio sozinha... enfeitiçada pela independência... meio perdida porque me apaixonei pela espontaneidade e incerteza... meio domada pelo saber o que desejo... o que gosto e para onde quero ir...
... com uma bagagem cheia de sonhos, um sorriso de determinação e de peito aberto ao que o universo ainda tem para me dar...
Encontro um porto junto a cada pessoa que encontro e dou-me... bebendo um pouco daquilo que têm vontade de me dar. Neste caminho que é a vida... há poucas certezas, mas uma delas é quanto mais dás mais recebes.
Aprendo tanto a cada passo que dou... seja com um animal, com um ser humano, como eu... com a própria natureza.
Não é preciso muito para se acreditar em milagres... ou em magia... a cada minuto há provas para quem quiser ver. Porque há muitas diferenças entre olhar e ver, tal como entre ouvir e escutar...
Caminho... como qualquer um de nós caminha, mas com um objectivo: ser feliz... só quero ser pura e simplesmente feliz. E vou sê-lo sempre e a cada dia.
Além da protecção e da luz que peço a Deus, peço igualmente que me dê forças para aceitar as perdas... não as materiais, mas para aguentar perder aqueles que amo... não apenas através da morte, mas também através dos desvios que o destino por vezes nos impõe. Talvez seja isso que mais me doi... aquilo que mais me marca... e aquilo que mais tenho que trabalhar em mim... o meu ponto fraco. A resignação... porque a minha natureza leva-me sempre a lutar... correr atrás. E há coisas para as quais não há luta possível... é derrota certa!... A morte... e os desencontros marcados pelo destino...
A minha morte, no entanto, é me indiferente. enquanto cá estiver vou viver tudo o que consiga viver... como costumo dizer: aproveitar tudo a que tenho direito e se for possível ainda mais um bocadinho. Isto porque no dia em que partir sei que a minha alma vai olhar para atrás e sorrir e cada pessoa que amo vai sentir dentro de si o meu "até breve".
Embora fique a saudade, sei que todos vão sentir a minha felicidade... tal como sei que quando se recordarem de mim será sempre comigo a sorrir, a brincar... a dançar.
Depois... mais tarde... vou receber-vos a todos, um a um, de braços abertos... do outro lado!E vai ser fácil me reconhecerem... pois a essência será sempre a mesma...
O sorriso... a força que me move e que às vezes nem sei de onde vem...
O carinho... a vontade de transbordar e de tocar em tudo e todos...
A vontade de crescer... de ajudar... de mudar tudo para melhor... e de ver sempre o lado positivo de cada acontecimento...
A intensidade... a tempestade... a calma... a reserva e a extroversão... a rebeldia e a inocência de sentimentos...
Uma eterna mescla... de sabores e tons...
Quem me conhecer verdadeiramente vai perceber estas palavras ;)

terça-feira, setembro 30, 2008

Viagem a Sevilha... comentários!


Sábado fiz o piercing no nariz, já algum tempo que o queria fazer…
Não me apetecia estar com ninguém… não por me sentir mal, mas por me sentir bem comigo mesma.
Vagueei sozinha por Almada… passei por uma loja de tatuagens… entrei, perguntei o preço… se era necessário marcar. A rapariga respondeu que podia ser já…
Uns minutos depois estava feito…
Assim é que eu gosto das coisas... espontâneas...
Porquê mais um piercing? Tinha pensado fazê-lo nos meu anos como prenda para mim mesma… foi um pouco depois, mas o sentido mantem-se… digamos que é a marca dos meus 28 anos… e do ano de 2008 em si, quando tudo começou a mudar na minha vida…

Hoje Segunda-feira, dia 29, leio o texto da Elka sobre as nossas férias… e não consigo parar de pensar que tenho de escrever…
Sevilha 2009… um marco para ambas…

Elka:
“De malas aviadas fomos contentes com um destino traçado, não que ele importasse muito, a intenção era outra, era estar longe de Lisboa… A busca de uma pausa depois de meses de grandes mudanças e de muito trabalho. O telemóvel sem rede e no silêncio, o relógio no pulso mais por habito que por necessidade. Beber cappucinos às 14h00 com uma sandes mista. Num dos dias, sem querer, estávamos a procurar restaurantes à 24h00… para nós era hora de jantar… não que fosse boa ideia para quem tinha uma sandes no estômago desde às 16h00. O nosso jantar foi no McDonald’s, a primeira possibilidade encontrada, e depois, bem depois toca de conhecer a noite que nos aguardava serenamente.
As noites foram sempre quentes mas, com uma brisa que não pedia casaco! Quem é mulher percebe bem a importância! Os dias foram de serenidade, rodeadas de parques, jardins, igrejas, ruelas e fontes onde molhar os pés; não importava que depois fosse necessário um bom tratamento; ali não importava que eles estivessem sujos, apenas que estavam demasiados cansados e que mereciam passar uns minutos numa fonte com água bem gelada.
Passamos os dias a andar perdidas nas ruelas, mas isso não tinha de maneira alguma importância; o mapa ficou feito literalmente em fanicos, nem isso importava porque, mesmo perdidas, havia sempre um sítio que não conhecíamos e continuávamos com os pés sempre dispostos a andar mais um pouco.
Descobrimos que o nosso sentido de orientação não é assim tão mau…
O calor, esse foi incessante… as sardas apareceram, o protector solar foi esquecido! Os nativos mais que habituados a um calor escaldante é que permaneciam serenos a beber as suas cañas ou nas compras e eu, bem tenho a prática de Castelo Branco que apenas tem 3 estações: Inverno, Verão e aos CP... Já em Luanda o calor não é assim tão seco, graças a Deus!
Despedimo-nos do pôr-do-sol com 1 caña na mão, que tem sido um ritual para mim… No início foi 1 desilusão, ele não assim tão bonito mas, depois ofereceu-nos uma das melhores fotografias tiradas!
O melhor:
- Não perceber castelhano e eles não perceberem português, principalmente quando se fala depressa…
- Visitar a cidade em época baixa, os turistas eram poucos!
- Vimos tudo o que conseguimos e chegamos mesmo a visitar uma casa de um morador. Posso dizer que elas são bonitas por fora e por dentro… com ele, experimentamos água ardente chilena e percebemos que a nossa é melhor!
- Ir de férias com uma grande amiga, que com a viagem tornou-se uma verdadeira companheira. A intimidade de dividir um quarto fez-nos maravilhas e o mais importante numa amizade manteve-se, os silêncios de manhã e quando a birra quer aparecer. Somos super diferentes fisicamente e mesmo no feitio… uma é mais Zen que a outra mas, que ainda assim conseguimos encaixar sem haver tumulto.
Mas como numa amizade que se preze, tem que haver discussão… o importante é que depois dela voltamos sempre a falar como se nada se tivesse passado. É engraçado que mesmo numa amizade há sempre troca de palavras mais acesas e que isso não é de forma alguma o fim, muito pelo contrário, há mais respeito de parte à parte.
De volta de férias estamos mais que prontas para continuar com as nossas vidinhas e é claro para conversar, conversar, conversar… como duas tagarelas natas.
- Sair à noite solteira… Não se fica à procura mas, olha-se e como é bom olhar, apreciar, até flirtar sem maldade!
Resumindo... Sevilha deu para relembrar: Como é bom estar vivo e como é bom olhar para as possibilidades…“

Carla:
“Quando algo muda nas nossas vidas, principalmente quando o que muda consegue abalar as linhas com que se tece a tua vida no presente... mais do que o sofrimento... mais do que o crescimento... fica a certeza de que há mil e um caminhos possíveis de percorrer e que em qualquer momento da tua vida no hoje tudo pode ser diferente do ontem. E além de termos de estar preparados para isso temos que saber acreditar que tudo pode ser melhor...
Claro que aqui ser melhor está nas mãos de cada um... também pode ser pior se assim o decidirmos...
O vazio de horizonte depois de grandes abalos e uma já forte amizade juntou 2 seres numa viagem a Sevilha...
A vontade de fugir por momentos para um pouco mais longe... como se a distância apagasse certos medos... incertezas... inseguranças...
A vontade se ser simplesmente... sem ter de dar explicações, sem ter de olhar para ninguém que nos quisesse julgar... porque ali não havia ninguém que fosse suficientemente importante para nos puder julgar...
Engraçado que em Sevilha senti-me em casa... não num sentido esotérico... mas foi como se soubesse que naqueles dias era suposto estar ali... era ali que pertencia! E quando parti nem sequer tristeza senti... porque também cá dentro foi como se me estivesse a ser dito que já era tempo de voltar.
Imagem que vou sempre guardar... descalça pelas ruas de Sevilha, com os sapatos na mão... perdida!
Grande lição...
... foi como se me tivessem a dar a prova que é assim que devo viver... ligada à terra, como se caminhasse sempre descalça... confiante que o meu caminho vai ser percorrido... e que um dia vou chegar a "casa"... mas que isso nem sequer é o mais importante. O mais importante é ser quem sou e no caminho aproveitar as coisas com que me cruzo... para crescer e ser o mais feliz possível...
Ambas sofriamos dum grande mal... tinhamos que controlar tudo... dominar os acontecimentos... e todas as mudanças que aconteceram connosco serviram para que nos apercebessemos que temos que nos deixar ir ao sabor da corrente... deixar fluir. De nada vale a maior parte das vezes nos revoltarmos ou lutarmos...
O destino está marcado... só temos que ir tomando algumas decisões pelo caminho... como se houvesse um trajecto e tivessemos que ir ter àquela incruzilhada e aí sim... decidir: Esquerda? Ou direita?
Parece simples, mas não é... centrarmo-nos em nós mesmos e percebermos o que é melhor para nós para tomarmos a decisão adequada, no momento certo, é bem complexo... e exige um equilíbrio extraordinário...
E é essa agora a nossa labuta... uma em Portugal, outra em Luanda ;) para não falar de outras pessoas que com certeza estão neste momento a passar pelo mesmo processo...

Sevilha teve mil e um momentos que irei recordar, mas aqui ficam algumas das conclusões :)
Já durante o mês de Agosto tudo foi um reencontro com quem sou... algo que aos poucos já estava a acontecer... há algum tempo. Sevilha foi o remate final!!!
Um reencontro com os prazeres da vida... que depois de algum tempo de compromisso tinha perdido... aos poucos... sem notar e que tenciono não perder nunca mais... encontre ou não alguém para partilhar a minha vida outra vez... num sentido romântico/amoroso, porque o que passamos a vida a fazer é partilhar pedaços da nossa vida com os outros... aliás é isso que lhe dá o encanto.
Foi e é tão bom seduzir por seduzir... e deixar-se ser seduzido!!! Comer e beber por puro prazer... Sem vergonha, porque é algo que faz parte de mim... de que vale mentir ou negar!? Sou extremamente carnal e gosto dos prazeres da vida... são estas coisas que muitas vezes me dão alegria de viver.
Não há nada que de momento me dê mais prazer do que sentar-me com um amigo ou mais a uma mesa... comer bem e beber um bom vinho enquanto conversamos... e depois sair até algum lado e ir dançar um pouco. Isto a par de momentos únicos... como é um pôr do sol, enquanto se bebe uma canã, como descreveu a Elka... ou como andar descalço na areia... sentir a água gelada nos pés...
... O sorriso que virem nos meus lábios nesses momentos... sim é pura felicidade :) pois são esses pequenos momentos da vida que fazem tudo valer a pena... que me fazem gostar de viver...
Hoje sei que onde quer que esteja... Sevilha... Lisboa... ou do outro lado do mundo... estou bem, porque me sinto bem comigo mesma :) e porque gosto de saborear cada momento da vida pelo simples prazer de viver...


terça-feira, setembro 16, 2008

Francisco de Assis

Volta e meia dá-me um fascínio com algum Santo... ou alguma personalidade da área espiritual! Já há algum tempo que andava com o Francisco de Assis na cabeça... mas entretanto foi passando. Agora com o livro da Dulce Regina voltou. Ela fala muito sobre Clara e Francisco, como Almas Gémeas. Mas não foi isso que mais me chamou a atenção.

Foi o contacto com Francisco e os seus ensinamentos... que sempre tinha tido vontade de explorar... mas talvez não tivesse no momento certo de aprofundar...

Quem tiver curiosidade de investigar um pouco há diversos sites, este é um deles:
http://franciscodeassis.no.sapo.pt/home.htm

Estou já há algum tempo no processo de aprendizagem "orar de coração"... tem sido uma aprendizagem progressiva e é bem mais complexo do que à partida se possa imaginar. Para mim orar não é dizer o Pai Nosso... o Avé Maria... rezar o terço... ou algo do género. É despir-me das minhas máscaras... e falar com Deus/Universo. Isso quer dizer que muitas vezes choro... que por vezes me revolto... me desculpo... peço... sonho... e muito importante: agradeço... e humildemente reconheço o quanto sou pequena.

É preciso alguma auto-disciplina. Auto-disciplina esta que quebrei desde que entrei de férias e que agora me comprometi a retomar.
De manhã costumava ter a minha conversa habitual... com a realização das minhas protecções espirituais, porém ainda não consegui regular as horas de sono ao ponto de acordar mais cedo o tempo necessário. Mas não é por isso que deixo de ter uma conversa mental... riam um pouco à minha conta: faço-o nos transportes. Tanto tempo por aproveitar... que opto sempre por ou conversar com Deus ou fazer mentalizações e visualizações... só quando estou demasiadamente cansada é que simplesmente leio.

À noite faço sempre um resumo do dia... as coisas boas e más que me aconteceram e como é que eu agi. Agradeço tudo o que me foi ofertado. Peço uma noite de sono tranquila, bem dormida. Às vezes peço para visitar alguém que me apeteça ou para tentar resolver algum problema ou conflito durante a noite... dependendo do que queira ou precise. E peço sempre protecção e luz para mim e para as pessoas que me rodeiam... até para aquelas que me magoaram ou com as quais ainda não consegui resolver alguma quisilia.

Agora perguntam-me "Fazes isso todas as noites?" Sim... e este é já um hábito de há muito. Pode acontecer ser mais breve nalgumas noites específicas! Pode às vezes ser acompanhado por um grande pedido de desculpas por não estar nas melhores condições... imaginem o porquê... LOL... também sou humana...

Já cheguei a pensar que não tinha talento para orar... mas acho que era na altura em que não sabia, aliás na altura em que tinha perdido a noção do que era ter fé... até que praticamente em simultâneo me encontrei a mim mesma, à minha fé e à capacidade e vontade de orar.
Mas esses momentos de auto-disciplina em que cumpri à risca as orações matinais e as nocturnas foram aqueles em que mais equilibrada me senti... mais forte... com mais noção de quem era e o que queria. Com uma paz interior nunca sentida! Poucas horas eram as que necessitava de dormir para me sentir revitalizada e mesmo em relação à comida, tinha muito menos necessidade de comer.
Enfim... se já consegui, hei-de conseguir de novo...

Sinceramente, à parte das orações do coração, há rezas que nos conquistam e a de Francisco de Assis conquistou-me.
Oração de São Francisco de Assis

Senhor, fazei de mim um instrumento da Vossa paz!
Onde houver ódio, fazei com que eu leve o amor;
Onde houver ofensa, que eu leve o perdão,
Onde houver discórdia, que eu leve a união;
Onde houver dúvidas, que eu leve a fé;
Onde houver erros, que eu leve a verdade;
Onde houver desespero, que eu leve a esperança;
Onde houver tristeza, que eu leve a alegria;
Onde houver trevas, que eu leve luz.
Ó Mestre, fazei com que eu procure mais:
Consolar, a ser consolado;
Compreender, a ser compreendido;
Amar, a ser amado.
Pois é dando que se recebe;
É perdoando que se é perdoado;
E é morrendo que se vive para a vida eterna!

Quem pensar que eu sou uma pessoa fora do normal que fale com quem me conhece. Sou uma pessoa como outra qualquer, que simplesmente tornou a espiritualidade num modo de vida. Dou muitos tropeções na vida... como qualquer um... ainda sou extremamente carnal... ligada aos prazeres da vida... de longe ser um anjinho... ou candidata a freira LOL.

Não sou vegetariana... bebo alcóol... ou seja, longe de ser exactamente o protótipo ou modelo ideal de espiritualista. Todavia sou... e se eu sou qualquer um pode ser, basta querer... basta escolher esse caminho...

No passado era preciso sofrer para se dar o exemplo do que era ser espiritual, do que era seguir o que alguns chamam os ensinamentos de Deus...

Hoje em dia a própria vida que se leva, o mundo como está organizado, conduz-nos a fazer pequenos gestos que fazem parte dum caminho dito espiritual... e assim cada um de nós pode ser para os outros um mestre nos ensinamentos de Deus. Como é que no caos... na dor... na luta... se consegue seguir o bem... a luz... e ainda fazer questão de com muito amor ajudar os outros?!
Isto é que é ser-se espiritual nos dias de hoje...

segunda-feira, setembro 15, 2008

Pensamentos do momento...

Hoje deu-me uma vontade imensa de escrever... mas há tanto para dizer que é difícil encontrar por onde começar...

Quero agradecer primeiro de tudo ao ppmiguel, é esta a identificação que aparece no comentário, pelo contributo que fez sobre as Almas Gémeas e por reconhecer os meus progressos, mesmo sem me conhecer. É bom quando exteriormente se têm opiniões sobre os nossos esforços e progressos que são mais interiores que externos.

Em relação às Almas Gémeas no dia 10 de Setembro eu recebi algumas pistas fundamentais... não foi numa palestra, nem num workshop, aliás as circunstâncias pouco importam, muito menos a fonte... interessam os ensinamentos.

Há 2 tipos de Almas Gémeas:

Almas Gémeas num sentido mais material... pois encontram-se num plano terreno em que nós neste momento nos encontramos. E neste sentido temos ao longo da vida mais do que uma Alma Gémea terrena. Será então alguém com que nos identificamos mais do que com a maioria das pessoas em dado momento... com a qual obtemos uma compreensão espontânea. Relação esta que se fundamenta num crescimento e apoio mútuo constante. Pode ser o nosso pai, a mãe, um amigo ou amiga...

Já as Almas Gémeas no sentido espiritual são um par único, um feminino e um masculino. Sim, Almas Gémeas naquele sentido romântico/mítico de que tanto ouvimos falar... como Dulce Regina descreve e defende.

Hoje, mais do que nunca, tenho a consciência de que estou aqui de passagem. A única importância (que já é muita) é ter a oportunidade de evoluir numa série de aspectos que a nossa alma decidiu antecipadamente.

O conceito de livre-arbítrio que eu tinha nos últimos tempos tem vindo a mudar... pelo menos o suficiente para eu começar a aprender a aceitar determinadas provas de forma diferente... com mais calma, menos revolta.

Oração do Xico Xavier

"Que eu continue a acreditar no outro mesmo sabendo de alguns valores tão esquisitos que permeiam o mundo;

Que eu continue optimista, mesmo sabendo que o futuro que nos espera nem sempre é tão alegre;

Que eu continue com a vontade de viver, mesmo sabendo que a vida é, em muitos momentos, uma lição difícil de ser aprendida;

Que eu permaneça com a vontade de ter grandes amigos(as), mesmo sabendo que com as voltas do mundo, eles(as) vão indo embora de nossas vidas;

Que eu realimente sempre a vontade de ajudar as pessoas, mesmo sabendo que muitas delas são incapazes de ver, sentir, entender ou utilizar esta ajuda;

Que eu mantenha meu equilíbrio, mesmo sabendo que os desafios são inúmeros ao longo do caminho;

Que eu exteriorize a vontade de amar, entendendo que amar não é sentimento de posse, é sentimento de doação;

Que eu sustente a luz e o brilho no olhar, mesmo sabendo que muitas coisas que vejo no mundo, escurecem meus olhos;

Que eu retroalimente minha garra, mesmo sabendo que a derrota e a perda são ingredientes tão fortes quanto o sucesso e a alegria;

Que eu atenda sempre mais à minha intuição, que sinaliza o que de mais autêntico possuo; Que eu pratique sempre mais o sentimento de justiça, mesmo em meio à turbulência dos interesses;

Que eu não perca o meu forte abraço, e o distribua sempre;

Que eu perpetue a beleza e o brilho de ver, mesmo sabendo que as lágrimas também brotam dos meus olhos;

Que eu manifeste o amor por minha família, mesmo sabendo que ela muitas vezes me exige muito para manter sua harmonia;

Que eu acalente a vontade de ser grande, mesmo sabendo que minha parcela de contribuição no mundo é pequena;

E, acima de tudo... Que eu lembre sempre que todos nós fazemos parte desta maravilhosa teia chamada vida, criada por alguém bem superior a todos nós! E que as grandes mudanças não ocorrem por grandes feitos de alguns e, sim, nas pequenas parcelas quotidianas de todos nós!"

Estas palavras são capazes de dar luz a qualquer um...

Há uma música duma religião Afro-brasileira que costumo ouvir que numa passagem diz o seguinte: "Diz-me qual é a sua morada?"... E eu reconheço, para mim, um significado extraordinário na resposta dada: "É uma estrada sem fim..."

É o que sinto hoje... sou uma viajante numa estrada sem fim. Esta vida presente é somente uma parte dessa estrada imensa. De que vale querer encontrar tudo num pequeno troço, ou vivenciar tudo numa pequena parte do percurso... quando ainda há tanto para viver?!

Para o Pedro, novamente, já que ainda és céptico em relação a dados assuntos. Isso não é necessariamente mau!

Sabes que eu às vezes penso que se quase todas as pessoas imaginassem metade do que já vi... onde andei... o que fiz e faço em termos espirituais... ou já me tinham internado ou fugido de mim LOL.

Muitas são as vezes em que acredito que vivo num mundo diferente da maioria?! Mas que importa isso no fundo? Na verdadeira essência todos somos iguais... a work in progress...

Não precisamos acreditar em tudo... isso só era possível se começasses a acreditar naquilo em que os outros acreditam. As experiências vão surgir para que vivencies aquilo que é importante conheceres... aí decides se acreditas ou não!?

As únicas coisas que tens que fazer é deixares-te guiar... (agarrares-te a uma pedra à beira rio para não seguires a corrente só vai fazer com que sofras mais no teu caminho)... seres fiel a ti mesmo, à tua essência... e teres a mente aberta o suficiente para que as coisas surjam espontaneamente.

segunda-feira, setembro 08, 2008

Fiz 28 anos... AHHHHHHHHHHH!

Foi mais ou menos como este miau que fiz: tentei esquecer...
Pois é, dia 9 de Setembro fiz 28 anos.
Pensei que podia esquecer... mas parecia que não parava de soar na minha cabeça: "28 A....aaaaaNnnnnn....Ooooo...Ssssss". Claro que no dia a seguir perante a pergunta "Como é ter 28 anos?!", a resposta inevitavelmente era... "é igual a ter 27".
Realmente não tem a ver com a idade... todos nós somos diferentes, o que interessa é o caminho que percorremos e, mais ainda, os ensinamentos que vamos recolhendo...

O mais assustador no meio disto tudo é olhar para atrás e ver que ainda não tenho a casa de sonho (amo a minha casa, mas não está mobilada como quero)... não tenho o emprego de sonho... nem o homem de sonho tenho. Já nem falo em carro de sonho, porque nem carro tenho agora. Isto entre outras coisas que também ainda não são de sonho e já deviam estar a caminho de ser!? Claro que isto tem a ver com aqueles ideais de criança ou adolencente que nos são incutidos e nós próprios vamos assimilando, sem notar.

Em compensação:

Nunca me senti tão bem como me sinto enquanto pessoa... enquanto mulher! Começo a perceber aquela expressão "Como gostava de ter 20 anos e saber o que sei hoje!?".

Encontro-me em paz comigo mesma :) feliz como sou e por quem me fui tornando ao longo da vida. No fundo sou uma pessoa extremamente feliz... com todas as oportunidades do mundo para alcançar todos os sonhos que optar alcançar...

Os meus 27 anos foram marcados por mudanças radicais na minha vida de forma geral... e no meu interior. Sinceramente agora apercebo-me que para mim enquanto pessoa todas essas mudanças foram e estão a ser muito positivas. A vida duma forma geral é que podia melhorar... aliás, essa foi a prenda de anos que pedi ao Universo/Deus ;)

À medida que o ano de 2008 se aproximava tinha uma sensação estranha... de que nada ia ser igual. Quando algumas coisas começaram a acontecer e a vida começou a tomar um rumo completamente diferente do esperado... senti que ia ser o pior ano da minha vida, mas também o melhor. Aqui quando penso em pior é mais pelo sofrimento que acarreta mudar e crescer. Senti um pulo de evolução em mim que admito teve a sua boa dose de dor... de revolta... de medo.
Mas o quanto valeu a pena... para me sentir como me sinto hoje!
Para o ano tenho a certeza que quando ler este Post vou sorrir... agora apenas aguardo pacientemente que os sinais cheguem e eu possa avançar...
Foram tantos os ensinamentos que recebi aos 27 anos... e virão com certeza novos aos 28. Para que é que estamos cá? Não é para ver passar os anos sem viver... sem errar... sem voltar a tentar. Pelo menos para mim...
Caiste? Levanta-te uma vez mais... pára, lambe a feridas, aprende o que tens a aprender e segue. E isto com algo a que cada vez dou mais importância: um sorriso nos lábios!!!
Dar um passo de cada vez... a sorrir... levando como bagagem uma mala cheia de sonhos para alcançar... sempre com a certeza de que mereces todas as coisas boas que vais encontrar... e que as más que vão acontecendo são meras oportunidades para seres alguém melhor...

quarta-feira, setembro 03, 2008

Depois das férias...

Comecei a escrever este post no hi5, mas vou pôr aqui também porque: "Gente! Eu quero ajuda!"... já explico para o quê LOL
Sei que é normal depois dum mês de grande intensidade... férias!!!!... o cérebro não estar a funcionar a 100%... horas de sono trocadas... algum alcool à mistura... falta dos meus exercícios espirituais e mais que tudo: pouco, mas mesmo muito pouco exercício intelectual LOL.
... Mas houve um tema que me começou a dar a volta à cabeça "Almas Gémeas"?! E sinceramente ainda não consegui descalçar a bota... e como a menina não é nada teimosa... nahhhh... estou a antecipar uma grande luta nos próximos tempos.
Agora o porquê disto surgir na minha cabeça... não sei sinceramente... mas acho que também nem tudo tem que ter explicação racional... não deve ser fácil encontrar uma explicação para todas as curiosidades que surgem dentro de nós?!
Algumas coisas, no entanto, podem ter influenciado:
Talvez por cada vez mais ter dificuldades em acreditar em contos de fadas... e mesmo, assumo: "Shame on me", por ser muito céptica em relação ao assunto. Claro que também ajuda o facto de todas a meninas (acho que é típico!), por mais que não acreditem e até o assumam (como eu!) guardem uma ponta de esperança que isso até possa ser verdade...
Sim, agora é aquela imagem:
"Nós lindas e maravilhosas, num sítio lindo de morrer, a passear, sós, mas seguras de nós mesmas... até que ao longe... quase dificil de focar por causa dos raios de sol... vislumbra-se um cavalo... CALMA!!! Deixem-me modernizar isto... vislumbra-se um homem a fazer jogging... lindo de morrer (aqui cada uma puxa pela sua imaginação... escolher cores, tamanhos... etc) e quando ele olha para nós, apercebe-se que nos ama loucamente e que é connosco que quer ficar........ And so on...".
Digam-me lá os crentes se realmente isto é fácil de acreditar?! Vá... ponham só as pontinhas dos pés assentes no chão...
Para tentar perceber o assunto estou a ler "Almas Gémeas: em busca da luz" de Dulce Regina... e a questinar algumas pessoas sobre o assunto.
Se alguém tiver material ou opiniões sobre o assunto agradeço que compartilhem... ok?
Contribuam para a sanidade desta teimosa, mas generosa alma :)

quinta-feira, julho 31, 2008

Será que a culpa afinal é minha?!

Vou contar um espisódio da minha vida!?!
Só um pequenino... porque a minha vida é recheada de histórias... valha-me a emoção LOL.
No fim de semana passado fui a Almada ver a minha mãe...
Como sabem, quem não sabia passa a saber, Almada está completamente desfigurada das obras do metro de superficie.
As linhas já se estendem pela avenida principal e colocaram para passagem dos peões algumas plataformas.
Eu, depois de sair do bus de Cacilhas para Almada, passei numa dessas passagens... e senti aquele barulho pouco agradável "Krrrrrrrrr"... de algo a rasgar :/
A minha saia... uma daquelas saias compridas e coloridas... todas hippies... prendeu-se num ferro das obras e....
Tcham Tcham Tacham Tacham
Fiquei com o rabo ao léu em plena Almada. A saia prendeu e com o puxão que eu dei com o corpo ficou abaixo do meu rabiosque.
Eu, como podem imaginar, fiquei de todas as cores... desprendi a saia... pu-la no lugar e saí dali o mais rápido possível.
Não sei se alguém viu... não olhei... e não ouvi nenhum comentário... a não ser que tenha ensurdecido momentaneamente para nem sequer ouvir. Isto porque muita gente deve ter visto... plena Almada, ao fim de semana?!
Quando cheguei a casa da minha mãe, devia ir com um ar estranho, minimamente... a minha mãe só comentou "Então! Vens agarrada à saia com medo que ela fuja".
Pois é, ponderei em escrever uma carta à CM de Almada para pedido de indeminização por danos psicológicos e emocionais. Mas como tenho vindo a melhorar de dia para dia... decidi esquecer.
Cena nº2
Hoje ia apanhar o bus de Miratejo para Almada... quando vi o bus na paragem... a pensar que o podia perder, decido fazer uma corridinha!
O que é que aconteceu?
"Tambores se faz favor... para tornar a cena emocionante!"
Quando dei o impulso da corrida... as minha bermudas descairam e lá fiquei eu de novo de rabiosque ao léu. (Não tão exposto como em Almada... mas deu para ver a lingerie toda!)
Uma vez mais puxei a roupita para o lugar e corri para o bus, agora a agarrar nas calças para evitar que acontecesse outra vez. Como se nada tivesse acontecido... (já estou a ficar com experiência... entretanto vai-se aperfeiçoando a técnica... assim quem tiver visto a cena de repente até dúvida do que viu... tal é o meu ar descontraído! LOL...)
Meu Deus... que se passa aqui?! Eu noto aqui um padrão preocupante!
Será que estou a desenvolver algum síndrome de exibicionista, de forma insconsciente?! Duas vezes?! Na primeira ainda tinha a desculpa das obras... agora posso culpar o elástico das calças. Mas não posso estar a arranjar sempre desculpas... como se diz: não há coincidências...?!
Bem... agora vou de férias.
Se virem, algures em público, um rabo ao léu... quem sabe não é meu LOL
Estou a brincar, claro... :p
Hoje é o último dia de trabalho até Setembro... de qualquer modo eu mantenho-vos informados!
Vou investigar seriamente estas ocorrências e estabelecer um plano de acção ;)
Pelo menos tenho rido à minha conta um bom bocado!
O que eu acho é que vou optar por usar o belo do boxer... e evitar o fio-dental.
Beijos enormes!

terça-feira, julho 15, 2008

É Fernando Pessoa... diz tudo!

A Felicidade Exige Valentia!

"Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes" mas, não esqueço de que minha vida é a maior empresa do mundo, e posso evitar que ela vá à falência.
Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise.
Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar um autor da própria história. É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma.
É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.
Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos.
É saber falar de si mesmo. É ter coragem para ouvir um "não".
É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta. Pedras no caminho? Guardo todas, um dia vou construir um castelo..."
Fernando Pessoa

Quem não se inspira com estas palavras?!

O engraçado é que nos últimos dias tenho andado inspirada... motivada para mudar as coisas que posso mudar, para melhorar o rumo da minha vida. Sempre achei que é nestes momentos que o ser humano engrandece... daí me sentir num óptimo momento... sinto-me GRANDE! LOL

Hoje o meu maninho manda-me este poema. Coincidência ou não, para quem queira perceber o meu estado de espírito de momento é ler o poema... foi uma identificação à primeira vista.
Fernando Pessoa diz que um dia vai construir um castelo com as pedras do caminho dele... eu sinto que tenho vindo a construir um, desde que tomei a decisão de que nesta vida estou cá para aprender, para crescer, para ser cada vez melhor (e sei que tomei esta decisão muito cedo!). Assim, estou a dar mais 1 passo na construção do meu castelo... depois duma pequena pausa, em que me perdi na inconsciência do dia-a-dia. No fundo, fui acumulando algumas pedras e, há pouco tempo, decidi parar e colocá-las onde eu achava que conjugavam melhor. Este castelo está à vista de quem o quiser conhecer... à vista de todos, mas só ao alcance de quem quiser mesmo entrar e conhecer :)
Manter o equilibrio é dificil... se virmos a maior parte das pessoas, ou tende a ser demasiado consciente e embebida no seu mundo... tão consciente do que faz que até assusta, ou então totalmente insconscientes, outros, levam o seu dia-a-dia como autómatos transloucados. O truque para conseguirmos ser bem sucedidos é deixarmo-nos levar pela corrente... e ao mesmo tempo termos consciência de quem somos e do que queremos.
Ter consciência de quem somos e do que queremos implica, além dum grande auto-conhecimento, a supressão dos nossos medos... e a descoberta da fé, não falo sequer da fé em Deus, falo da fé em nós... ter fé de que merecemos ser felizes... e de que conseguiremos alcançar as nossas metas.
Cada vez mais acredito "O cosmos conhece as nossas necessidades, tudo o que necessitamos se manifesta... no momento certo."
As pessoas, por exemplo, que nos surgem no caminho, mesmo que por breves momentos, vêm nos ensinar alguma coisa... nem que seja a ultrapassar dados medos, ou supostas certezas que semeamos aos ventos... de boca cheia. Também há pessoas que vêm ao nosso encontro para suprir dadas necessidades momentâneas.
Se uma pessoa já não está na tua vida é porque já não têm nada a fazer um pelo outro... não se deve sofrer por isso... a missão foi cumprida. Se não foi... será mais tarde... nesta vida ou noutra, perante novas circunstâncias.
Se alguém entra e saí, mas volta mais tarde à tua vida... observa que algo ainda há a cumprir...

Tenho pensado realmente no que há de positivo na vida, para além das coisas menos boas que vão acontecendo... a todos, duma forma geral! Viver tem coisas tão boas... as tais pessoas que vão entrando na nossa vida principalmente... são verdadeiros tesouros. A comparação com 1 tesouro é fantástica... por mais que se queira ou se pense que se possui 1 tesouro isso não é verdade, nada é nosso, só nós próprios... a nossa alma, o nosso corpo... a nossa energia. As pessoas são como os tesouros... são-nos emprestados, enriquecendo-nos num dado momento.

Estou no meu caminho... com a certeza de que gosto de quem sou e de que tenho tudo para ser bem sucedida... e feliz!

Relativamente a pessoas que têm surgido no meu caminho e o têm embelezado, elas são muitas... este post nunca mais acabava se falasse em todas. Mas nos últimos tempos algumas têm se tornado especialmente especiais LOL (redundância propositada)... outras já eram especiais, com uns houve um apurar com outros houve um relembrar da sua importância :)
Tenho que dizer...

Obrigada Márcia ;) cuja força e confiança inspiram... em paralelo com a sensibilidade e fragilidade (essa duplicidade que revejo muito em mim também! Fortes, mas sensíveis... muito bom!!!)... o teu altruísmo é maravilhoso... fico feliz por nos termos cruzado nesta vida...

Obrigada Vera :) Como dadas cirscunstâncias nos levam a aproximarmo-nos de dadas pessoas?! És uma pessoa muito especial... às vezes acho que nem tu própria imaginas o valor que tens e a mulher que és. Não por não teres auto-estima... mas porque a dimensão de tudo o que tens dentro de ti é imensa.

Obrigada Ana Paula. Uma força da natureza... mulher mais que independente que optou por não ter filhos nem constituir familia... tanta experiência de vida?! Além disso fez-me ver a arte que existe em mim... prometo que vou pintar mais!!!!

Obrigada Ana (mãe dum bom amigo que foi para fora, o Bruno)... acho que nem imagina a importância que teve e tem para mim em dados momentos. É também uma força da natureza. O que eu mais gosto nela é o modo como diz "Eu gosto de mim!"... como explicação para o que a move a cada dia da vida dela.

Obrigada João... Reis... para distinguir :) És um amigo mesmo muito especial para mim. Já o sabes, não era preciso dizer! És daquelas pessoas com quem sinto um elo tão forte que só pode ser explicado por encontros em vidas passadas (e um sonho já mo confirmou!). O que eu mais gosto é da forma como mostras que gostas de mim como eu sou... tal como eu gosto de ti tal e qual como tu és. Somos pessoas que talvez se possam apelidar, por vezes, de fora do vulgar... nem sempre fáceis de aceitar e compreender, daí ser bom sentir essa segurança e cumplicidade ao pé de alguém.

Obrigada Elka... uma estreita sintonia espiritual nos une... és uma irmã de alma, sem dúvidas. Há amigos que são como anjos na terra, tu és um dos meus anjinhos e eu sei que isso é recíproco...
Obrigada Filipe... um ex-colega de trabalho. Mais doido que eu, o que é dificil! Gostei da abordagem que teve comigo pouco tempo depois de me conhecer "Tu não és de cá, sabias? Por isso é que te sentes desencaixada!". Muitas conversas de caractér espiritual tivemos e temos. É outra das pessoas da minha vida que sei que já me havia cruzado noutras vidas! O Filipe sempre olhou para mim com aquele ar "Eu conheço-te!"...

Outro dos meus últimos progressos é o estar a vencer a luta com o meu ego. Já sei que não sou o meu ego. Já sei que não sou aquilo que penso... sou aquilo que sinto e aquilo que perante os meus sentimentos decido fazer. E uma das coisas que ultimamente tenho sentido é necessidade de partilhar o meu ser com os outros, daí este post.

E o medo de dizer que amo... que gosto... que quero estar ou que gosto de estar na companhia de... já se foi há muito tempo?! O que já notei é que o que às vezes alguns apelidam de humilhação ou rebaixamento eu chamo de sinceridade e humildade.

Beijos enormes.

segunda-feira, junho 23, 2008

Confiante!

Nos últimos tempos sinto como se tivesse levado uma injecção de auto-estima. Acho que isto são coisas da idade LOL (tem que ter as suas vantagens).
Sinto-me extremamente confiante nas minhas capacidades, em quem sou! Embora por outro lado, na minha análise, extremamente cuidada como qualquer virginiano que se preze, ache que sou, em termos de cultura geral e conhecimento do mundo real, um zero à esquerda. Não vejo noticiários, jornais também não leio. Vivo no meu mundinho e graças a Deus gosto de socializar, se não era uma alienada do mundo real.
Ainda assim, gosto de mim tal e qual como sou. Acima de tudo porque a cada dia tento acordar com um sorriso nos lábios. Se ele não surgir espontaneamente, chamo-o com intensidade para ele vir ;) e tento ser com todos a melhor pessoa possível.
Tenho imensos defeitos, como qualquer pessoa, mas tento andar o mais consciente possível, para que quando erre consiga pelo menos perceber e tentar não voltar a repetir...
Não guardo mágoas, nem odeio ninguém, faço questão aliás de todas as noites, nas minhas orações, já meia a dormir LOL, pedir que Deus traga coisas boas às pessoas com as quais me dou menos bem, ou àquelas pessoas pelas quais alguma vez senti que fui prejudicada por algum dos seus actos.
Uns já me disseram que é perda de tempo e energia, outros dizem que é uma onda muito alternativa. Eu segundo as minhas crenças, sei que todos pagam todo o mal que façam, seja nesta ou noutras vidas. Para quê a filosofia do "Não desejo mal a ninguém, só peço que cada um tenha aquilo que merece"?!? Aí sim considero latim gasto... ou então sinceramente uma fachada pouco rebuscada de tolerância.
Tenho pedido uma coisa insistentemente... para que as pessoas não confundam a minha confiança em mim e nas minhas crenças com arrogância ou falta de humildade! Já aconteceu muitas vezes. Mas sinceramente também sei que verdadeiramente quem me conhecer vai perceber que não é nada disso.
Se fui arrogante alguma vez, fui directamente ao topo... durante algum tempo, fui extremamente arrogante com Deus! Aí foi uma verdadeira ousadia!? O modo como orava. Eu já nem pedia, exigia... envergava a armadura e as minhas palavras pareciam golpes diferidos por armas... duras, afiadas, certeiras!
Então descobri a fé... e isso apazigou-me a alma... perdi muita da raiva que tinha cá dentro... amainou-se a tempestade que se fazia noite e dia dentro de mim, embora no meu exterior só se mostrasse calmaria.
Sinto-me feliz comigo mesma... não tenho medo da solidão... enfrentei alguns dos meus maiores fantasmas e sinto que os exorcizei...
Sinto-me mais livre... mais plena...
E sei que isto foi só um passinho que dei em termos de evolução... e que tudo isto requer um trabalho contínuo, porque as provas são muitas, as tentações também... e às vezes a voz da insconsciência fala mais alto e leva-nos a dar as maiores quedas da nossa vida.
Não sei porquê, veio-me à cabeça justificar o facto de falar ultimamente tanto em Deus. Não pertenço a nenhuma religião... o meu Deus, é algo superior que todo o universo rege... se é energia?! Se tem um rosto, não me interessa realmente, nem nunca na minha cabeça fez sentido imaginar tal coisa! Cada um com a sua teoria e especulação e isto para uma pessoa altamente racional é interessante de se admitir.
Acho que já disse muitas vezes, para mim, Deus está em todas as coisas... tudo tem algo de divino... e muitas vezes, quando falamos com fé, é connosco que falamos, mais do que com Deus. Para quê conceitos, para quê explicações?! Para já e além de mais, todos temos que assumir a responsabilidade de tudo o que acontece na vida de cada um, não é por nada que as teorias tipo Segredo (Lei da atracção) têm estado em vogue... faz muito sentido, não é?! Mas que faz mais sentido que exista algo superior para reger isto tudo... faz (pelo menos para mim!).
Não conto metade do que "sei" e do que já me foi dito... também não teria sentido... cada um com a sua aprendizagem...
Já me foram ditos marcos da minha vida através do tarot que até agora se concretizaram todos... Se era algo de tão ambiguo que se pudesse encaixar na vida de qualquer um? Não, sinceramente, não. Se vão acontecer e ponto final... também acho que não... existe livre arbítrio! Há coisas que parecem surgir na nossa vida... alguém, uma situação... mas irmos em frente, enfrentarmos e ultrapassarmos essa prova é opção nossa, de mais ninguém.
Eu acredito determinantemente que, antes de encarnarmos, a nossa alma escolhe alguns marcos porque quer evoluir em xs questões... em carne se decide o resto. Isso quererá dizer que em parte acredito no destino, mas ainda mais acredito no poder do livre-arbítrio...

quarta-feira, maio 28, 2008

Sem dramatismos!

Já houveram algumas vezes durante esta vida que se houvesse opção pedia para me levarem deste mundo! (como a Elka costuma dizer: "Tirem-me deste filme!")
Tipo: STOP! Desta reencarnação basta LOL...
Eu sei, eu levo isto com uma boa dose de humor, sem dramatismos! Quem não me conhecer vai achar que eu sou completamente doida... mas acreditem que só tenho uma dose saudável... sou doida q.b...

Não sei se já alguma vez sentiram o mesmo?! Eu já naturalmente não me sinto muito encaixada aqui, mas depois quando vejo algumas coisas ou sinto na pele outras... piora!

Já disse algumas vezes que desejava que esta fosse a minha última encarnação! Talvez por o que acima descrevi... por vontade de parar... descansar... e noutra vida começar de raiz algo de novo. Mas claro que sei que isso não é possível... ainda tenho muito que evoluir!

A carne é forte, em muitos os sentidos... ainda mais apliados os seus efeitos na sua morada: a Terra. É fácil deixarmo-nos levar pela raiva, pela dor, pela mágoa... e gritar que não é justo. É fácil rendermo-nos àquilo que muitos chamam de trevas!

É realmente duro vir à Terra e ver tanto mal... tanta crueldade... e perceber que tudo isto advém de actos outros homens como nós! Pior, quando notamos que nós próprios somos capazes de ser crueis. Dá vontade muitas vezes de esquecer a missão e pedir a Deus para nos levar de volta para os seus braços.

Antes de cá chegarmos proposemo-nos a evoluir... a ajudar os outros... a tentar trazer um pouco de bondade e luz à Terra, além de evoluir! Eu pelo menos penso assim em relação a mim e não estou a fazê-lo com prepotência nenhuma. Há milhões de pessoas bem mais evoluídas que eu... outros milhões mais ou menos no mesmo patamar em que eu e outros quantos milhões num estado de evolução mais baixo que eu. Mas numa coisa estamos em pé de igualdade, mesmo quem vive em inconsciência: Todos estamos cá para evoluir. Porém cada um traça o seu caminho e mesmo que a alma tenha escolhido x e x prova antes de reencarnar... o livre arbítrio domina... a carne pode ser "fraca" e não querer cumprir.

Há quem escreva que as angústias, as mágoas, a própria ansiedade que sentimos se dão quando estamos a contrariar a alma... é como se fosse a forma de ela nos tentar transmitir que estamos a ir pelo caminho errado. Diga-se que faz muito sentido...

Nesta vida, nunca podemos esquecer da vantagem que trazemos connosco. Basta olharmos para dentro de nós por uns minutos... fechar os olhos no meio da confusão que é o nosso quotidiano... e sentir o abraço de Deus.

Agora vão-me perguntar os mais cépticos... como é que sentes o abraço de Deus? O abraço de Deus é a paz e a tranquilidade... o animo e a força que encontro dentro de mim, mesmo quando tudo à volta está a ruir. Para não falar nas mil e uma outras formas que Deus tenta comunicar comigo: através dos outros, de música... da natureza! Que mais pode ser, senão o abraço de Deus, uma gargalhada indomada quando tudo parece correr contrariamente aos nossos planos ou sonhos!?

Para mim sinceramente Deus está em todas as coisas... tem que se saber olhar... tem que se andar suficientemente desperto para conseguir observar... ou até escutar.

Eu demorei a encontrar a fé... se demorei! Já neste blog comentei essa busca... as minhas dúvidas. Mas agora que a encontrei, aliás, acho que é mais, agora que a percebi não quero largar mão dela mais. É esta que me dá animo e força para me levantar a cada dia e encontrar formas de cumprir as minhas missões.

De uma coisa tenho a certeza, agora, nunca tive sozinha nem vou estar... talvez daí o medo que já tive da solidão tenha desaparecido completamente. Sei que tenho muito a aprender... mas há uma coisa que tenho que fazer sem falta, aliás estou a fazê-lo, recuperar a confiança nas pessoas...

A cada vida vimos cá com dados propósitos... como que uma rota pré-estabelecida pela nossa alma. Em carne... há que ter coragem para cumprir o que a alma escolheu... por vezes provas que são muito duras! Os saltos da evolução são sofridos e há que ter garra e, acima de tudo, fé para conseguir seguir em frente...

Costumo dizer nos ultimos tempos... e acredito plenamente, estou nas mãos de Deus... e todos os dias peço coragem para cumprir as provas a que a minha alma se propôs.

Quero no final sorrir... e dizer fui a melhor pessoa que consegui ser... missão cumprida!!!

sexta-feira, maio 23, 2008

Palavras que não são minhas...

Quando escrevo ultimamente... e não é a primeira vez que sinto isto... tenho a clara sensação de não estar só. As palavras não parecem ser minhas, embora concorde com o que é escrito. Por vezes é como se estas palavras fossem divinas, de tão puras que são... impossíveis de virem de mim, desta alma perdida dentro de um corpo emprestado para esta vida... que tanto a limita e influencia.
Tudo se representa numa perfeição... para nós relativa.
Tenho a cara, o corpo... à medida certa! Eu e qualquer outra pessoa somos perfeitos! Na medida e na conta das nossas missões... no que devemos fazer e não fazer... na medida e na conta em que devemos atrair determinadas pessoas e não outras.
Não vale a pena pensar "Sou gorda!", "Sou feio", "Tenho esta limitação horrível!"... se cuidarmos do nosso corpo... desta roupagem que nos emprestaram observamos as limitações inatas e também a sua tendência natural. Todos desta forma somos belos, diferentes, especiais, perfeitamente adaptados a quem devemos ser e ao que devemos fazer...
Além disso, acredito que a perenidade física que nos é imposta nos leva a reflectir, a cada dia e a quem se der ao trabalho de o fazer, que tudo o que é material é mutável e destrutível. O que está cá dentro... a nossa alma, é o mais importante e, mais que tudo, ao invés de degradável é "evolutível"... pois cresce e evoluí com o passar do tempo. O nosso corpo, pelo contrário vai envelhecendo e morrendo.
Ver a sabedoria e a força no olhar de algumas crianças, a pureza de determinados gestos... completamente altruístas, o sorriso repleto de juventude e alegria de viver num velho cuja idade já marcou o rosto e corpo.
Nada é por acaso!
Existe uma justiça maior e superior a nós!
Cegos pela carne podemos gritar de revolta o contrário! Mas quem somos nós para o fazer?
Esta justiça maior não tem nome e pode ter muitas caras... não tem tempo certo nem hora para ser aplicada... pode demorar horas, semanas, meses, anos... pode até não vir nesta vida...
Tudo segue um propósito que só pode ser divino, tal é a sua grandeza e tal é a nossa incapacidade de o perceber.
Olha para dentro de ti e sente quem és verdadeiramente e o que vieste cá fazer. A maior parte das coisas que procuramos no nosso exterior devemos encontrá-las primeiro dentro de nós... como o amor, por exemplo!
Que justiça e que mundo seria este em que alguém morre criança... em que alguém é violado... em que alguém se torna pedófilo... assassino... em que alguém nasce com uma deficiência que o depende para toda a vida?!!!? Que justiça existiria se só cá viessemos esta vida... e que justiça era essa em que uns parecem ter tudo e outros nunca têm nada, por mais que lutem... em que parâmetros se decidiria tudo isso?
Só pode existir uma justiça maior que nos foge ao entendimento...

sexta-feira, maio 16, 2008

Quem sofre e quem faz sofrer!

Nesta vida todos vestimos algumas vezes a pele do vilão... de mau da fita... pois muitas são as vezes em que os nossos erros causam não só o nosso sofrimento, mas o dos outros.
Isto não significa que sejamos maus por natureza... pelo contrário, uma boa parte da nossa aprendizagem é feita nestes momentos. Estes, embora doloridos, são as nossas catapultas para a evolução! E isto acontece não só no caso de quem faz sofrer... quem sofre também pode evoluir muito, caso não se perca nas suas dores e revoltas. Tente antes entender os porquês... deixe de julgar... e tente aperceber-se de toda a situação! O que quer dizer que, mais tarde ou mais cedo, terá de despir a pele de vítima, de injustiçado e assumir também a sua culpa... caso exista (que na maior parte dos casos existe, por mais que nos façamos cegos e desentendidos).

Às vezes quando erramos, recomeçar de novo pode não ser a solução mais certa. Poucas vezes a fuga desenfreada do passado é a solução. Há muitas ciscunstâncias em que voltar atrás ao ponto em que se errou e enfrentar a situação é o mais acertado. Perceber o que se passou... o que levou a...! Assumir responsabilidades e ter a coragem de pegar nessa estrutura que ficou ferida e reconstruí-la. Podemos ver que os mais belos e mais sólidos edifícios arquitectónicos que existem são muitas vezes reconstrucções ou restaurações... e que belas estruturas são?! Isto porque a reconstrução permitiu restruturar o que não estava bem, nem tão belo, nem tão funcional... e valorizar o que de melhor existia.
Além disso, a constante fuga e volta à estaca zero, fará que pouco ou nada evoluamos. Podemos em determinado ponto da nossa vida olhar para o passado e ver tantos projectos começados e destruídos por erros... ou falta de persistência! Por falta de nos conseguirmos perdoar a nós próprios e aos outros... no fundo, perdoar a natureza do ser do humano e a provas inerentes à sua existência... onde errar é inevitável.
O mais forte é aquele que pega nos seus erros e os leva a seu favor... evoluindo! Aceita o que há a aceitar, deixa no passado o que há a deixar, mas distingue o que vale a pena corrigir e levar a cabo, mesmo que seja preciso empenhar quase todas as suas forças. O mais forte é aquele que, por mais que custe, lida com os seus sentimentos, emoções, frustrações, raivas... e sabe senti-los, discerni-los... transmiti-los e seguir um caminho claro e recto. Sem cair na tentação de fugir sem olhar para atrás...
Neste momento na minha vida... fecho os olhos e vejo-me a mim mesma de armadura vestida... armas em punho... luto mais comigo mesma do que com qualquer outra coisa. Sei que estou num momento determinante da minha vida!
Quero e sei que vou acreditar a cada dia que o amor no fim vence sempre... porque no fundo viver é amar... quero e sei que vou conseguir aceitar que o sofrimento vale a pena... e nunca vou perder a fé que tenho no ser humano... por mais que por vezes pareça que a perdi totalmente.
Quero acreditar que se há pensamentos e sentimentos puros e repletos de amor que persistem e prevalecem por mais que o tempo passe, por mais que se tente esquecer... por mais que surjam acontecimentos que façam com que se queira pôr fim a tudo... há algum sentido, alguma razão que só o tempo revelará...
Deus sabe o que faz...

terça-feira, abril 22, 2008

São Jorge


Amanhã, dia 23 de Abril, é dia de São Jorge/ Ogum.
Façam-lhe uma oração, há várias, mas eu gosto muito desta:
"Eu andarei vestido e armado com as armas de São Jorge para que meus inimigos, tendo pés não me alcancem, tendo mãos não me peguem, tendo olhos não me vejam, e nem em pensamentos eles possam me fazer mal.
Armas de fogo o meu corpo não alcançarão, facas e lanças se quebrem sem o meu corpo tocar, cordas e correntes se arrebentem sem o meu corpo amarrar.
Jesus Cristo, me proteja e me defenda com o poder de sua santa e divina Graça, Virgem de Nazaré, me cubra com o seu manto sagrado e divino, protegendo-me em todas as minhas dores e aflições, e Deus, com sua divina misericórdia e grande poder, seja meu defensor contra as maldades e perseguições dos meus inimigos.
Glorioso São Jorge, em nome de Deus, estenda-me o seu escudo e as suas poderosas armas, defendendo-me com a sua força e com a sua grandeza e que, debaixo das patas de seu fiel ginete, meus inimigos fiquem humildes e submissos a vós.
Assim seja, com o poder de Deus, de Jesus e da falange do Divino Espírito Santo.
São Jorge, rogai por nós!"
Para quem se sente num impasse, aparentemente num momento da vida em que nem vê avanços nem recúos, ore a São Jorge... ou Ogum, como chamam nas tradições afro-brasileiras. Ele abre caminhos e corta com más energias. Acendam uma velinha vermelha e peçam com fé!

domingo, abril 06, 2008

Um desejo...

O sol nascerá de novo na tua alma,
a escuridão se dissipará,
a confusão será como se nunca tivesse existido.
Sentirás o calor do amor dentro de ti
... uma vez mais!
Será impossível não sorrires,
não com os lábios, mas com o coração!
Nos teus dias reinarão de novo a paz e a calma.
A tristeza se calará,
tudo voltará a fazer sentido!
Nunca deixei de ser o teu cais
... tu é que te tinhas perdido
e agora encontraste o caminho de volta!
... nada na minha espera foi em vão...

segunda-feira, março 31, 2008

Luz interior num mau momento



Vou falar de Deus, por culpa dum livro que comecei a ler. Enquanto procurava uma imagem para pôr no post, vi esta flor... achei ideal para representar Deus, porque para mim Deus está em todas as coisas e seres e não tem uma forma exacta.

Não estou a passar um bom momento... os porquês não interessam e como eu tenho estado melhor é comigo mesma. Peço desculpa a alguns amigos a minha ausência! Mas acho que chegamos a uma idade em que fazemos o que sentimos... e eu nos últimos tempos tenho andado perdida dentro de mim, num bom sentido. Não quer dizer que não me possam chamar ao exterior!!!

Falo aqui em perdida num bom sentido porque me sinto bem... daí eu chamar a este post "Luz interior num mau momento". O que é uma experiência incrível.

Estou a começar a ler um livro "Conversas com Deus" de Neale Donald Walsch. Não conto pormenores, apenas falo numa passagem que levou a escrever o que escrevo neste momento.

Deus diz a Walsch que comunica connosco através dos sentimentos, de pensamentos (imagens), experiência e só quando tudo isso falha, utiliza palavras. Porque Ele considera as palavras mais dúbias. Deus também lhe diz que poucos são os que o escutam, entre muitas outras coisas interessantíssimas, mas para isso leiam o livro :)

O que aqui vou dizer, ainda vai levar alguns de vocês a acharem que eu estou mais maluca. O que eu tenho feito ultimamente... meditado, feito Reiki, orado à minha maneira tem-me feito encontrar uma traquilidade e paz interior extraordinária. Um amor profundo!!! E ao ler este livro, o meu pensamento foi "Deus fala comigo e eu por momentos estou a escutá-lo".

Isto talvez porque Deus como o estou a descobrir não tem nada a ver com o que muitas religiões defendem. Aliás, o meu Deus não pertence a nenhuma religião... não é uma imagem... não é alguém que nos apareça à frente... PUFFFF e te diga "ei, tu aí... acorda... estás a deixar a tua vida correr-te entre os dedos".

Isso não tem feito com que os meus problemas desapareçam... nem tem evitado que por vezes entre em pânico... outras vezes chore, outras me revolte! Mas se calhar quando muitos têm de tomar comprimidos para dormir, anti-depressivos... usar alcool. Ou seja, escapes nada bons para o corpo físico... eu cá estou perdida no meu mundinho.

Não estou a criticar quem usa outros escapes... estou a mostrar o meu.

Uma coisa curiosa que tem acontecido é que passando a maior parte do meu tempo sozinha... não me tenho sentido só! Não quer dizer que não sinta falta da minha companhia... sinto muita... mas não me sinto só como dantes me sentia.

Pêndulo


Lá arranjei mais uma coisa esquisita para trabalhar.

Já tinha comprado o pêndulo há algum tempo, mas estava à espera de ir fazer um workshop para me ensinarem a trabalhar com ele. Ou faziam o curso e eu não tinha dinheiro, ou quando eu tinha dinheiro, abriam todos e mais alguns workshops menos o do pêndulo.

Até que decidi pesquisar algumas coisas... peguei no pêndulo e como com o poder da mente fez logo o sim e o não... perguntei se podia começar a trabalhar com ele... Vazei a mente e a resposta foi sim. Desde então, tenho trabalhado com ele todos os dias.

Tem acertado umas coisas... no inicio falhava bastante. Mas eu também ponho-me a fazer futurismo com ele... mais arriscado! Há que ter cuidado, porque o futuro é moldável pelos pensamentos, sentimentos e acções.


Como começar a usar!
Segura a corrente entre o indicador e o polegar.
Segura-o com a mão apontando para baixo, de modo a que o fio fique esticado.
Ao fazeres questões mantem a coluna reta e os pés firmes no chão.
Ao usares o pêndulo faz perguntas precisas e específicas. (Este é o grande ensinamento que estou a ter ultimamente)

Como se explica o efeito? A intuição/mente superior dá a resposta, o teu sistema nervoso central e periférico fazem mover o polegar e indicador de modo imperceptível (movimentos neuromusculares involuntários).

Eu antes de fazer a questão evoco o poder de Deus e peço que só me seja dita a verdade. Fecho os olhos e tento abstrair-me de qualquer pensamento.

Se o pêndulo se mover da esquerda para a direita ou oscilar em sentido anti-horário a resposta será negativa. Se o pêndulo se mover para a frente e para trás, ou em sentido horário a resposta será afirmativa.
Se bem que o meu praticamente só faz o movimento horário e anti-horário.

Pesquisem exercícios que se podem fazer. Serve para mil e uma coisas. Diagnóstico de saúde, relacionamentos. Mas faz primeiros os exercícios simples e questões menos complexas.

Eu tenho adorado a experiência. Ando em fazer de test-drive LOL mas os erros têm realmente ocorrido quando me armo em futurista. Mas cá vou aprendendo diariamente um pormenor novo.